Até as 17h horas de hoje, todas as capitais brasileiras devem receber as 4.636.936 doses do primeiro lote de vacina CoronaVac. Essa foi a determinação do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na manhã desta segunda-feira (18) em apresentação no Departamento de Logística em Saúde (DLog), em Guarulhos.

Acompanhado dos governadores de todos os Estados (por São Paulo, o representante foi o vice-governador Rodrigo Garcia), Pazuello foi até o DLog para anunciar a partida da vacina para todos os cantos do Brasil. Todos os participantes da comitiva estavam de máscara, mas se aglomeraram em volta de uma mesa.

publicidade
Ministro da Saúde e governadores em São Paulo para anúncio de distribuição de vacinas
Ministro da Saúde e governadores se reúnem em Guarulhos para anunciar envio de vacinas CoronaVac aos Estados. Foto: Elias Silva

Agora, as unidades de vacina seguem em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), bem como em aeronaves da Azul, da Gol, da Latam e da Voepass, que farão o transporte do imunizante gratuitamente. Imediatamente após a reunião com a imprensa, as vacinas começaram a ser carregadas nos aviões. Quando chegarem às capitais, as doses serão distribuídas aos municípios com apoio do Ministério da Defesa.

Inicialmente, o plano era começar a campanha de vacinação simultaneamente em todo o território nacional na quarta-feira (20), mas Pazuello liberou os Estados para imunizarem suas populações desde já. “Os Estados têm a liberdade de iniciar o processo assim que receberem suas doses”, disse.

Primeiros vacinados

As primeiras doses da vacina CoronaVac, que compõem esse lote inicial, foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial na tarde de domingo (17). Imediatamente após o parecer do órgão, o Estado de São Paulo já aplicou a vacina em 112 profissionais de saúde no Hospital das Clínicas (HC), na capital paulista.

Do total de doses disponíveis neste primeiro lote, São Paulo ficou com 1.357.640 unidades. Nos próximos dias, mais de 20 mil trabalhadores da saúde devem ser imunizados no HC. Nesta segunda-feira, a ideia é vacinar mais de mil pessoas na sala preparada no local. Com o passar dos dias, a equipe quer chegar a sete ou oito mil pessoas atendidas por dia.

Durante esta semana, os postos de vacinação vão funcionar das 7h às 19h diariamente e os pacientes serão vacinados em ordem alfabética. A segunda dose da vacina deve ser aplicada 21 dias após a primeira.

Estudos continuam

Segundo a Anvisa, a autorização de uso emergencial avalia a adequação da vacina para uso durante a atual emergência de saúde pública. A ideia é minimizar os impactos da pandemia. Por enquanto, ainda não foi concedido o registro sanitário definitivo do imunizante.

Tanto o Instituto Butantan quanto a Fiocruz (parceira da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, no Reino Unido, que desenvolveram a CoviShield, também aprovada pelo órgão no domingo) devem fornecer outros dados relevantes à agência sempre que necessário. A ideia é que haja uma avaliação contínua do perfil de benefício e risco das vacinas.

*Com reportagem de Elias Silva