A Virgin Orbit completou o primeiro lançamento orbital do foguete LauncherOne na tarde de domingo. A empresa colocou em órbita nove satélites de pequeno porte para a Nasa.

Esta foi a segunda tentativa de lançamento de um LauncherOne. O primeiro, em maio de 2020, não teve sucesso devido à ruptura de uma linha de combustível que leva oxigênio líquido ao propulsor. Como consequência, o foguete não conseguiu atingir a órbita terrestre e caiu no mar.

publicidade

Diferente dos foguetes tradicionais, como os Falcon 9 da SpaceX, o LauncherOne não decola verticalmente de uma plataforma de lançamento.

Em vez disso, ele é levado a cerca de 10 km de altura sob as asas de um Boeing 747 modificado, chamado “Cosmic Girl”, ou Garota Cósmica em tradução literal.

Ao atingir esta altitude, o foguete é solto. Por fim, após alguns segundos em queda livre, ele aciona o propulsor NewtonThree, que irá levá-lo até a órbita.

O sistema da Virgin Orbit tem duas vantagens sobre os lançamentos tradicionais: a primeira é que menos combustível é necessário, o que reduz o custo e aumenta a capacidade de carga útil do foguete.

Além disso, o lançamento pode ser feito a partir de qualquer aeroporto capaz de suportar um Boeing 747, o que o torna a primeira plataforma de lançamento verdadeiramente global.