EnglishPortugueseSpanish

O The Montreal Heart Institute (Instituto de Cardiologia de Montreal), no Canadá, divulgou neste sábado (23) os resultados do teste clínico COLCORONA, que mostraram que o uso do anti-inflamatório colchicina reduziu em 21% o risco de morte ou hospitalização em pacientes com covid-19 em comparação aos que tomaram placebo.

Entre os 4.488 pacientes que participaram do estudo realizado no Canadá, Estados Unidos, Europa, América do Sul e África do Sul, 4.159 tiveram o diagnóstico de covid-19 comprovado por um teste de PCR nasofaríngeo. Nos infectados pelo novo coronavírus, a colchicina reduziu as hospitalizações em 25%, a necessidade de ventilação mecânica em 50% e as mortes em 44%.

publicidade

De acordo com o The Montreal Heart Institute, esta importante descoberta científica torna a colchicina o primeiro medicamento oral do mundo que pode ser usado para tratar pacientes não hospitalizados com covid-19.

“Nossa pesquisa mostra a eficácia do tratamento com colchicina na prevenção do fenômeno da ‘tempestade de citocinas’ e na redução das complicações associadas à covid-19”, afirmou o diretor do Centro de Pesquisa do The Montreal Heart Institute, professor de Medicina da Université de Montreal e pesquisador principal do estudo COLCORONA, Dr. Jean-Claude Tardif.

A colchicina é destinada ao tratamento de crises agudas de gota e na prevenção das crises agudas nos pacientes com artrite gotosa crônica. Segundo o The Montreal Heart Institute, o tratamento de pacientes com risco de complicações com colchicina assim que o diagnóstico de covid-19 é confirmado pela PCR “reduz o risco de desenvolver a forma grave da doença e, consequentemente, diminui o número de hospitalizações. A prescrição de colchicina aos pacientes pode ajudar a aliviar os problemas de congestão hospitalar e reduzir os custos de saúde pelo mundo”.

O The Montreal Heart Institute afirma que este é o maior estudo do mundo testando um medicamento administrado por via oral em pacientes não hospitalizados com covid-19 e que o COLCORONA foi coordenado pelo Montreal Heart Institute’s Montreal Health Innovations Coordinating Center (MHICC) e financiado pelo governo de Quebec, pelo National Heart, Lung, and Blood Institute of the U.S. National Institutes of Health (NIH), Montreal philanthropist Sophie Desmarais e pelo COVID-19 Therapeutics Accelerator, além de ser uma iniciativa lançada pela Bill & Melinda Gates Foundation, Wellcome e Mastercard, e ter CGI, Dacima and Pharmascience of Montreal como colaboradores.

publicidade

Fonte: The Montreal Heart Institute

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!