Mais de 5 milhões de brasileiros foram vítimas de clonagem de WhatsApp em 2020. A informação é do dfndr lab, laboratório de segurança digital da PSafe.

Em perfis falsos, os criminosos fingem trabalhar para empresas ou inventam falsas promoções e pesquisas.

publicidade

Em um primeiro contato, o golpista tenta convencer a pessoa a passar seu código de autorização. Com ele, é possível ter acesso ao WhatsApp.

Quando entra na conta da vítima, é comum que passe algum tempo estudando as mensagens antes de começar a se comunicar com os contatos.

A recomendação é evitar passar o número de celular ou códigos recebidos no aparelho em abordagens desse tipo.