O deputado estadual de Illinois Marcus Evans Jr. propôs proibir a venda de jogos violentos, como o GTA 5, na cidade de Chicago e em outras localidades do Condado de Cook. O objetivo do projeto é diminuir o número de roubos de carros na região.

O processo HB3531, foi proposto na última sexta-feira (19) como emenda de uma lei aprovada em 2012, que impede a venda de alguns jogos específicos a menores de 18 anos. Com a aplicação de uma multa de US$ 1000 (cerca de R$5.300) para os varejistas que descumprem a regra.

publicidade

A proposta é de estender esta proibição para qualquer pessoa. “O projeto proibiria a venda de alguns desses jogos que promovem as atividades que estamos sofrendo em nossas comunidades”, disse Evans.

O projeto foi escrito pelo filantropo local Early Walker, que já encabeçou outras ações para tentar diminuir os roubos de veículos, como a “Operação Bomba Segura”. Uma ação que consiste em posicionar seguranças de uma empresa privada em postos de gasolina localizados nas áreas com maior índice de roubos.

Walker afirmou que procurou outros legisladores para tentar proibir os jogos, mas que a ideia só foi aceita por Evans. De acordo com o filantropo, algumas cenas que aparecem em GTA são semelhantes a relatos de pessoas que tiveram seus carros roubados.

Imagem do personagem do game Max Payne 3 em cena do jogo
Legisladores também desejam alterar a definição do conceito de jogo violento. Crédito: Rockstar Games/Divulgação

Projeto quer mudar definição de jogo violento

Além de proibir o GTA e outros jogos, o projeto de Marcus Evans Jr. também tem como objetivo mudar a definição do que é um jogo violento.

Para eles, este conceito deve abordar jogos em que os jogadores “controlam um personagem que é encorajado a perpetuar a violência humano contra humano em que o jogador mata ou causa sérios danos físicos ou psicológicos a outro ser humano ou animal”.

Via: Chicago Sun-Times

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!