EnglishPortugueseSpanish

A Dell Technologies realizou um estudo junto com a EMOTIV, empresa de bioinformática e neurociência, para avaliar como os equipamentos e tecnologias de trabalho afetam a qualidade e produtividade dos profissionais. Chamada de “Brain On Tech”, a análise apontou que os recursos, como computador e acessórios, são fatores essenciais para medir o estresse e eficiência dos trabalhadores.

De acordo com o estudo, profissionais que utilizam computadores considerados ruins podem levar até 40% mais tempo para realizar as tarefas, quando comprados àqueles que utilizam um computador moderno, com software adequado. A pesquisa ainda mostra que um equipamento adequado gera a economia de até 15 horas semanais de trabalho, equivalente a 23 minutos por hora trabalhada.

publicidade

Diego Puerta, líder da Dell Technologies Brasil, relatou que o levantamento confirma a percepção de que em um cenário no qual as pessoas passam longas jornadas na frente dos computadores, em especial por conta do home office, é essencial investir em equipamentos adequados para garantir que a produtividade dos profissionais. “As companhias devem dar uma atenção especial à configuração dos PCs e dos acessórios fornecidos aos colaboradores, para que eles possam não só garantir que as pessoas sejam produtivas, mas também que tenham bem-estar e qualidade de vida”, completou.

Diego Puerta, líder da Dell Technologies Brasil. Imagem: Redes Sociais

O “Brain On Tech” ainda mostra que quanto mais jovens são os profissionais, maior é o impacto da qualidade da tecnologia para o estresse e a produtividade. Nos participantes com menos de 26 anos, a experiência com recursos ruins gerou um desempenho em média duas vezes menor quando comparados com às pessoas entre 26 e 35 anos.

Segundo o estudo, a tecnologia pode ter impacto positivo nos sentimentos e para aliviar o estresse dos profissionais, reduzindo até mesmo os riscos de diversas doenças associadas a problemas emocionais. O Brain On Tech identificou que a mudança para um computador de qualidade induziu mais entusiasmo nos participantes do que receber uma recompensa financeira após a conclusão do experimento. Os resultados mostram que aqueles que vivenciam momentos de alto estresse por conta de problemas tecnológicos demoram três vezes mais para relaxar e se recuperar, mesmo ao ouvir uma música relaxante.

“Os dados desse experimento comprovam que a questão da tecnologia nas empresas vai muito além das áreas de TI e negócios. Os recursos tecnológicos adequados passaram a ser também uma preocupação do RH, já que os computadores e acessórios adequados podem ser uma das formas de combater o esgotamento e manter o bem-estar dos colaboradores”, ressalta Diego Puerta.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!