EnglishPortugueseSpanish

Na terça-feira (2), representantes de 18 Estados e do Distrito Federal (DF) visitaram as instalações da farmacêutica União Química — responsável pela produção da vacina russa no país —, no DF. O objetivo é agilizar a liberação da produção do imunizante Sputnik V em território nacional.

A visita contou com a presença de técnicos do Ministério da Saúde, que afirmam ter o contrato da Sputnik V em mãos. No entanto, o início da produção da substância em larga escala no país ainda depende da liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

publicidade

O problema é que a autorização parece estar emperrada. A agência esclareceu em nota que “não está sob análise pedido de uso emergencial ou de registro referente à vacina Sputnik V”. Segundo o órgão, a União Química não informou dados essenciais de protocolo clínico, bem como não pediu inspeção da fábrica do DF.

Se o impasse for resolvido e a Anvisa liberar o uso emergencial e a produção da Sputnik V no país, cerca de 10 milhões de doses da vacina russa devem chegar ao Brasil ainda neste mês para atender ao Programa Nacional de Imunização (PNI).

Fachada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
Tratativas entre Anvisa e União Química para liberação da produção nacional de Sputnik V estão paradas. Foto: Ascom/Anvisa

De acordo com o governador do Piauí, Wellington Dias, a União Química deve apresentar ao Fórum de Governadores, até a próxima semana, um cronograma para a produção própria do imunizante russo. A farmacêutica informa que atua para oferecer a Sputnik V para o PNI, com o apoio de estados e municípios brasileiros.

Governos querem vacina

Enquanto a liberação da Sputnik V pela Anvisa não avança, os Estados brasileiros se adiantam e negociam a aquisição de doses da vacina. Na terça-feira, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a compra de 20 milhões de unidades para o Estado até o fim de 2021.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), afirma estar em tratativas com a União Química para comprar a Sputnik V. Já em Santa Catarina, o governador Carlos Moisés (PSL) reforça a intenção de adquirir 10 milhões de doses do imunizante russo, mas não confirma quando vai concretizar o negócio.

Fonte: Agência Brasil/O Globo