A SpaceX conseguiu realizar nesta quinta-feira (04) o 75º pouso de um foguete Falcon 9. A missão Starlink-L17 decolou da plataforma 39A no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, às 5h24 (horário de Brasília), carregando mais 60 satélites para a constelação Starlink. Nove minutos depois, o primeiro estágio do foguete pousou na balsa “Of Course I Still Love You” no Oceano Atlântico Norte.

Este foi o oitavo voo e retorno do foguete, número de série B1049, desde seu voo inaugural em setembro de 2018. Com isso ele iguala a marca do B1051, atingida em 20 de janeiro deste ano. Segundo a própria SpaceX, os Falcon 9 são projetados para ter uma vida útil de 10 missões.

publicidade

Com o lote atual, a SpaceX já lançou 1.205 satélites Starlink. Segundo o astrônomo Jonathan McDowell 63 deles já foram desorbitados e outros 20 não estão manobrando ou parecem estar sendo retirados de órbita. Com isso, há 1.122 satélites ativos.

A SpaceX afirmou anteriormente que precisaria de 1.584 satélites para oferecer cobertura global de seu serviço de acesso à Internet, e já oferece uma versão “beta” a cerca de 10 mil assinantes em áreas já cobertas dos EUA, Canadá e o Reino Unido.

Esta é a primeira “camada” de satélites ao redor do planeta. A SpaceX espera operar múltiplas camadas para aumentar a densidade do sinal, chegando a 4.400 satélites na primeira geração da constelação. A empresa tem licença para lançar até 12 mil satélites.

Na noite desta terça-feira (03) a SpaceX testou outro de seus projetos, a espaçonave Starship, que eventualmente irá substituir os foguetes Falcon 9 e Falcon Heavy no lançamento de satélites e missões tripuladas.

O décimo protótipo, chamado SN10, foi o primeiro a conseguir chegar a uma altitude de 10 km e pousar verticalmente, embora tenha explodido alguns minutos após o pouso, já em solo, aparentemente devido a um vazamento de combustível.

Fonte: Spaceflight Now