Cientistas do Laboratório Nacional de Energia Renovável dos Estados Unidos pesquisam um método que pode transformar restos de comida em um tipo de combustível sustentável que poderá ser utilizado para abastecer motores de aviões a jato.

A biomassa é obtida a partir de dejetos como estrume e resíduos alimentares que são fermentados e decompostos em substâncias semelhantes aos combustíveis fósseis. Este processo é parecido com o realizado para obtenção de biocombustíveis conhecidos por nós brasileiros, como o biodiesel e o etanol.

publicidade

Os cientistas usaram ácidos graxos voláteis obtidos a partir da fermentação dos restos de alimentos e os converteram em moléculas de parafina simples. Estas moléculas já podem ser usadas para abastecer os aviões por serem quimicamente semelhantes aos combustíveis fósseis tradicionais.

De acordo com os autores do estudo, atualmente, o composto ainda precisa ser misturado ao querosene de aviação tradicional, em uma proporção de 90% de combustível fóssil e 10% do novo biocombustível.

Estes combustíveis alternativos produzem menos aerossóis de fuligem durante a queima. E além disso ajudam a diminuir a quantidade de lixo do desperdício de alimentos.