Um grupo de cientistas russos acaba de implantar um telescópio gigante nas profundezas do lago gelado de Baikal, no sul da Sibéria. O objetivo é procurar pelos neutrinos, as menores partículas da matéria conhecidas pelo homem.

Os neutrinos são subatômicos, não possuem carga elétrica e quase não têm massa. Apesar de estarem por toda parte, eles são quase indetectáveis, já que interagem de maneira muito fraca com as forças que estão ao seu redor.

publicidade

Detectores de neutrino são construídos no subsolo porque eles precisam ser protegidos de raios cósmicos e outras fontes de interferência. Um local com água doce, clara e coberta por uma grossa camada de gelo é perfeito para este tipo de pesquisa.

Por conta disso, foi necessário que os cientistas instalassem o telescópio, que foi batizado como Baikal-GVD, no lago de mesmo nome. Isso acontece também porque o lago siberiano é o mais profundo do mundo, com 1.700 metros em média até a base.

O detector de neutrinos foi implantado a cerca de quatro quilômetros da margem do lago. A operação foi realizada em 13 de março, quando os módulos feitos com cordas, esferas de vidro e aço inox foram baixados a 1.300 metros de água congelada.

Além de neutrinos, o equipamento também deve procurar por matéria escura e outras partículas exóticas.