EnglishPortugueseSpanish

E o famoso cão-robô Spot, da empresa de engenharia robótica Boston Dynamics, aprendeu a urinar cerveja graças à engenhosidade do youtuber Michael Reeves. Para a ideia, o programador precisou adicionar algumas repartições ao cão metálico e também algumas ferramentas para que o mascote tecnológico não apenas expelisse cerveja, mas que fosse diretamente em copos.

O projeto foi divulgado pelo profissional através de um vídeo em sua conta do YouTube e fez sucesso na rede. Para desenvolver a habilidade no robô, Michael precisou integrar uma uretra ao cão, mangueira automatizada para líquidos passarem, câmera de segurança para criar um sensor de mapeamento de ambiente e encontrar os copos, além de um cilindro nas costas do pet futurista que carrega a estrela do projeto: a cerveja gelada.

publicidade

Assista aos testes do youtuber:

Vídeo do youtuber Michael Reeves que documenta testes com o cão-robô Spot. Youtube

Segundo o youtuber, ele tentou contato com a Boston Dynamics para conseguir aprimorar o projeto, já que de acordo com os testes em vídeo, não é sempre que Spot consegue acertar a mira no copo, derrubando a cerveja e fazendo com que o cão escorregue. Mas o programador não obteve resposta da companhia.

Com isso, Reeves decidiu “se vingar” pela falta de retorno e viajou até Boston com o pet metálico. Já no local e de forma bem-humorada, Michael colocou Spot para fazer xixi na porta da grande empresa estadunidense.

O cão-robô Spot custa US$ 75 mil – R$ 427,9 mil na conversão em reais – e é um dos projetos mais famosos da Boston Dynamics.

Outras utilidades para Spot

No ano passado, o governo de Singapura anunciou o início de testes com o robô Spot para patrulhar um dos parques da cidade com o objetivo de lembrar os cidadãos de manter o distanciamento social recomendado para evitar a disseminação da Covid-19.

Já na França, o cão-robô foi inserido nos treinamentos do exército francês para conscientizar os patrulheiros a respeito dos desafios e diferenças do uso da robotização em batalha. O projeto, que também fazia parte de testes, identificou que o robô ajuda na segurança das tropas, porém atrasa operações e tem limitações como a vida útil da bateria.

Leia mais!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!