EnglishPortugueseSpanish

Cientistas do Instituto do Câncer Infantil da Austrália descobriram uma nova forma de tratamento para um câncer cerebral incurável que possui alto índice de mortalidade. O tempo médio de sobrevivência da doença é de apenas nove meses após o diagnóstico.

A doença denominada como DIPG (Glioma Pontino Intrínseco Difuso) preocupa médicos da área. “Ao longo dos anos, muitos tratamentos foram tentados para DIPG, mas nenhum até agora se mostrou eficaz em ensaios clínicos com crianças com a doença”, afirmou o professor associado David Ziegler, líder do grupo no Children’s Cancer Institute e oncologista pediátrico no Kids Cancer Center, Sydney Children’s Hospital.

publicidade
Ilustração de dano cerebral
Pesquisadores descobrem tratamento para câncer cerebral infantil fatal.
Imagem: Shutterstock

A pesquisa publicada no jornal Cell Reports oferece uma outra abordagem terapêutica com uma nova droga anticâncer para o tratamento do DIPG. O medicamento denominado CBL0137, é um composto desenvolvido a partir do antimalárico quinacrina e reverte os efeitos dos principais condutores genéticos no DIPG, eficaz contra os modelos de tumor.

De acordo com o estudo, o CBL0137 pode ter efeito ainda maior quando combinado com o panobinostat, um novo medicamento conhecido como inibidor da histona desacetilase (HDAC).

“O driver genético no DIPG é um gene mestre que controla milhares de outros genes. Até agora, não sabíamos como desligá-lo. Nossos dados mostram que o CBL0137 age para reverter os efeitos desse gene mestre. E, em seguida, desligar o crescimento das células tumorais DIPG”, afirmou Ziegler.

Os cientistas australianos utilizaram pesquisas anteriores sobre o CLB037, que apontavam que o medicamento era eficaz contra o neuroblastoma e poderia apresentar o mesmo resultado com o câncer cerebral. Foi então comprovado que o fármaco interfere no crescimento do tumor ao inibir o desenvolvimento da molécula FACT (necessária para a transcrição, replicação e reparo do DNA). Essa molécula se liga ao condutor genético chave do DIPG, uma mutação chamada K27M.

Leia também!

Em seguida, os pesquisadores começaram a tratar as células do câncer cerebral com o medicamento. Foi possível, então, direcionar o gene para impedir o crescimento de células tumorais. Ao adicionar o panobinostat à mistura, o resultado foi ainda mais eficaz.

“A descoberta de que o CBL0137 age indiretamente contra esse driver genético é muito empolgante e nos dá grande esperança para essa estratégia de tratamento”, informou o professor.

O medicamento CBL0137 passará a ser usado em um ensaio clínico internacional para crianças com o câncer cerebral, DIPG, em hospitais infantis dos Estados Unidos e Austrália.

Via: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!