Graças à colaboração de uma equipe internacional de cientistas, temos novas imagens que revelam detalhes sem precedentes de Messier 87, ou M87, o primeiro buraco negro a ser fotografado diretamente, em 2019.

As imagens revelam como jatos de matéria emitidos pelo objeto podem transmitir energia a regiões do espaço a milhares de anos-luz de distância.

publicidade

M87 é um buraco negro ativo, consumindo material de um disco de gás e poeira espacial que o circunda. Mas nem todo o material é “engolido”: parte dele é guiado por linhas magnéticas e viaja até os polos, onde é disparado para o espaço na forma de jatos de plasma ionizado, viajando a 99% da velocidade da luz.

Os pesquisadores descobriram que esses jatos conseguem transportar a energia liberada pelo buraco negro por distâncias maiores do que a nossa galáxia, como um enorme cabo de força. Os resultados da análise dos novos dados vão ajudar a calcular a quantidade de energia transportada e o efeito que estes jatos têm sobre o ambiente ao seu redor.

O Event Horizon Telescope, rede global de radiotelescópios usada para observar Messier 87, continua a operar, e neste momento está conduzindo uma nova observação do buraco negro. Os dados vão manter os cientistas ocupados por muito tempo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!