A NASA planeja o lançamento de uma nova espaçonave, atualmente chamada de Interstellar Probe, ou Sonda Interestelar, para viajar a mil unidades astronômicas, o equivalente a mil vezes a distância da Terra ao Sol. A expectativa é aprender mais sobre como nossa heliosfera se formou e como ela evolui.

As espaçonaves Voyager 1 e Voyager 2, lançadas na década de 70, foram os primeiros objetos lançados pelo homem a deixar o sistema solar e alcançar o limite da heliosfera, que é a bolha de plasma que envolve os planetas do nosso sistema.

publicidade

As Voyagers descobriram os limites da bolha, mas deixaram os cientistas com muitas dúvidas sobre como o Sol interage com o meio interestelar local.

O planejamento da nova missão envolve uma equipe de cerca de 500 cientistas, engenheiros e entusiastas de todo o mundo.

A sonda deve fazer “imagens” de nossa heliosfera usando átomos energéticos neutros e até observar a luz de fundo extragaláctica dos primeiros tempos da formação da Via Láctea, algo que não pode ser visto da Terra.

A heliosfera também é importante porque protege nosso sistema solar dos raios cósmicos galácticos de alta energia. O Sol está viajando em nossa galáxia, passando por diferentes regiões do espaço interestelar.

A missão pode ser lançada no início de 2030 e levar cerca de 15 anos para atingir o limite da heliosfera, bem rápido em comparação com as Voyagers, que levaram 35 anos para chegar lá. Atualmente a missão está planejada para durar mais de 5 décadas.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!