Uma “bolha” de matéria escura pode estar se escondendo debaixo dos nossos narizes, segundo informações publicadas pelo LiveScience. Segundo astrônomos das Universidades do Arizona e de Harvard, há suspeita de que a matéria esteja arrastando uma série de estrelas na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia-anã bem próxima da nossa Via Láctea, mas a 200 mil anos-luz da Terra.

A matéria escura é o que os especialistas entendem como aquilo do que é feito a maior parte do universo. Altamente elusiva e praticamente impossível de ser observada, a matéria escura tem sido objeto de buscas por incríveis distâncias do espaço pelos maiores especialistas da física e astronomia. Entretanto, nada fundamentalmente concreto foi encontrado até hoje.

publicidade

Os estudiosos teorizaram em um estudo que o ritmo regular de um conjunto de estrelas presente na Grande Nuvem de Magalhães vem da possibilidade de ele estar sendo arrastado por uma “bolha” de matéria escura.

Quando o assunto é “matéria escura”, os cientistas estão no mesmo entendimento que a maioria das pessoas. Ninguém conseguiu uma comprovação de fato, mas a presença tem sido observada em uma série de ações e movimentos de outros corpos celestes. O consenso é o de que ela compõe algo próximo de 85% do universo, estabilizando e “prendendo” objetos de vários tamanhos em posições e ciclos fixos.

Caso o estudo das duas universidades seja comprovado, a comunidade da astrofísica pode abrir caminho para novas e mais aprofundadas observações para compreender a misteriosa matéria escura.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!