A combinação de uma terapia genética com óculos estimulantes de luz conseguiu recuperar parcialmente a visão de um homem cego. A técnica é uma nova esperança para combater os efeitos de uma doença que atinge cerca de dois milhões de pessoas.

Uma terapia genética conseguiu fazer com quem um homem cego voltasse a enxergar de formar parcial. Esse é o primeiro caso conhecido desse tratamento sendo aplicado e tendo um resultado positivo em uma pessoa sem visão.

publicidade

O paciente de 58 anos sofre de retinite pigmentosa, uma doença hereditária que leva à perda da visão.

A técnica é chamada de restauração optogenética e usa um combinação de terapia gênica e pulsos de luz estimulando o olho.

No estudo, o homem cego recebeu uma injeção intravítrea com um vírus adeno-associado no olho com pior visão. O objetivo foi infectar o tecido do olho com um vírus benéfico, cheio de proteínas sensíveis à luz, que reagiram ao tratamento com pulsos de luz.

O homem cego que voltou a ver tinha a capacidade de diferenciar a luz. Ou seja, não era capaz de enxergar, mas podia saber se estava em um local claro ou escuro. Depois do tratamento, ele foi capaz de voltar a ver com um dos olhos, com a ajuda do óculos de estimulação visual.

É importante ressaltar que o tratamento ainda está na fase inicial de testes e só deve começar a ser aplicado com mais frequência daqui a alguns anos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!