Com o objetivo de atingir zero emissões em toda a cadeia produtiva até 2039, a Jaguar Land Rover está desenvolvendo uma nova versão do Defender, mas com motor elétrico e a hidrogênio. De acordo com a montadora, um protótipo está sendo desenvolvido e os testes devem começar no Reino Unido ainda entre novembro e dezembro de 2021.

Mais detalhes específicos sobre o novo modelo não foram divulgados, porém a Jaguar garantiu que o Defender a hidrogênio “irá passar por uma bateria de testes este ano para verificar os principais atributos, incluindo capacidade off-road e consumo de combustível”.

publicidade
Defender vai ganhar versão movida a hidrogênio ainda em 2021. Imagem: Jaguar Land Rover
Defender vai ganhar versão movida a hidrogênio ainda em 2021. Imagem: Jaguar Land Rover/Divulgação

A ideia faz parte do projeto de energia limpa da empresa batizado de “Projeto Zeus”. Apoiado – e parcialmente financiado – pelo governo do Reino Unido, a iniciativa visa dar um fim aos motores a diesel ou gasolina na linha Land Rover e eletrificar totalmente os modelos da Jaguar. Por consequência, levaria ao objetivo de começar a adoção de células de combustível a hidrogênio e tornar todos os veículos das duas marcas elétricos até 2025 – ano em que a montadora afirmar que só vai construir carros elétricos, inclsuive.

Além disso, a Jaguar Land Rover se comprometeu em zerar as emissões em toda a cadeia produtiva entre 2036 e 2039. A estratégia, batizada de “Reimagine”, quer eliminar a pegada de carbono de todo o ciclo de produção, incluindo produtos, fornecedores e operações. Para os executivos, no entanto, o desafio não está nem tanto no fato de tornar a empresa “mais verde”, mas sim desenvolver veículos elétricos ou a hidrogênio que ofereçam o mesmo desempenho e capacidade que os modelos convencionais.

“Sabemos que o hidrogênio tem um papel a desempenhar no futuro em toda a indústria de transporte e, ao lado dos veículos elétricos a bateria, oferece outra solução de emissão zero de escape para as capacidades e requisitos específicos da linha de veículos de classe mundial da Jaguar Land Rover. O trabalho realizado ao lado de nossos parceiros no ‘Projeto Zeus’ nos ajudará em nossa jornada para nos tornarmos um negócio de carbono zero líquido até 2039, enquanto nos preparamos para a próxima geração de veículos com emissões zero de escapamento”, afirmou em comunicado Ralph Clague, chefe de setor de hidrogênio e combustível da Jaguar Land Rover.

Leia mais:

A montadora também prevê que, até 2030, existam 10 mil estações de reabastecimento de hidrogênio, detalhe esse que vai ajudar a abastecer uma frota de 10 milhões de veículos equipados com o motor green.

Veículos movidos a hidrogênio é “o futuro” não só para Land Rover

As células de combustível combinam hidrogênio e oxigênio para produzir eletricidade sem combustão, tendo apenas água como emissão. A energia gerada, então, é usada para alimentar o motor elétrico. Fabricantes de automóveis, pesquisadores e legisladores ao redor do mundo têm defendido a tecnologia porque modelos movidos a hidrogênio podem ser reabastecidos rapidamente, têm alta densidade de energia e apresentam bom desempenho em ambientes frios – uma vez que registram perda mínima de alcance em baixas temperaturas.

No entanto, por que há ainda há poucos modelos movidos a hidrogênio (também conhecidos como FCEVs) no mercado? A resposta é simples: por causa da falta de postos de abastecimento. Construir uma estrutura adequada para vermos alguns Toyota Mirai ou motos, como a Segway Apex H2, nas estradas ainda é um desafio. Logo, as montadoras ainda apostam nas fases de testes com os modelos enquanto “o futuro não chega”…

Toyota Mirai bate recorde: 1.000 km com um tanque de hidrogênio. Imagem: Divulgação
Toyota Mirai bateu recorde: 1.000 km com um tanque de hidrogênio. Imagem: Divulgação

Contudo, dados da Agência Internacional de Energia (IEA– em inglês: International Energy Agency) e compromissos recentes das montadoras sugerem que isso pode estar mudando. O número de FCEVs no mundo quase dobrou para 25.210, conforme levantamentos mais recentes. Os Estados Unidos (EUA) têm liderado as vendas, seguidos por China, Japão e Coréia do Sul.

Aliás, o Japão é líder em infraestrutura para veículos do tipo. Segundo o governo do país, é previsto que 200 mil FCEVs estejam rodando nas estradas nipônicas até 2025 – meta alcançável, visto que o país instalou recentemente 113 estações de hidrogênio, quase o dobro que os EUA têm atualmente.

Fontes: engadget e TechCrunch

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!