A todo, o vírus da Covid-19 produz quatro proteínas estruturais primárias e várias proteínas não estruturais. Porém, a maioria das pesquisas sobre o coronavírus que são baseadas em anticorpos tem se concentrado nas proteínas do pico e do nucleocapsídeo. Um estudo publicado na PLOS Biology por Anna Heffron, Irene Ong e colegas da Universidade de Wisconsin-Madison, EUA, indica que as respostas imunológicas podem se desenvolver contra outras proteínas produzidas pelo vírus.

A eficácia da proteína spikeAs à base de vacinas são variáveis ​​e nem todas as pessoas infectadas com o vírus produzem anticorpos detectáveis ​​contra o pico ou proteínas do nucleocapsídeo. Sendo assim, as opções baseadas em anticorpos expandidas têm o potencial de desempenhar um papel importante na melhoria de vacinas, diagnósticos e terapêuticas.

publicidade

Isso devido ao surgimento de novas variantes. Para investigar se a infecção por Covid-19 induz respostas de anticorpos contra todas as proteínas, os pesquisadores mapearam 79 “epítopos”, que são regiões específicas do proteoma viral que os anticorpos reconhecem e se ligam. Eles também testaram se os anticorpos que se desenvolvem em resposta ao vírus ou anticorpos existentes de exposições anteriores aos coronavírus podem se ligar a qualquer uma das proteínas nos outros seis coronavírus humanos conhecidos para identificar potenciais epítopos de reatividade cruzada.

Leia também:

Além das proteínas spike e do nucleocapsídeo, os autores localizaram epítopos de células B altamente reativos anteriormente desconhecidos em toda a gama de proteínas na Covid-19 e variantes, expandindo o potencial para vacinas futuras e desenvolvimento terapêutico. 

Por outro lado, as pesquisas futuras são necessárias para determinar por quanto tempo esses anticorpos permanecem e se as respostas dos indivíduos vacinados diferem daquelas que contraíram Covid-19 antes da vacinação. 

Por mais que os autores não tenham traçado o perfil de variantes preocupantes que surgiram desde o início da pandemia desdobrada pela Covid-19, uma comparação do genoma SARS-CoV-2 original com algumas das variantes preocupantes identificou inúmeras variações em regiões ou dentro de 3 aminoácidos de epítopos de ligação de anticorpos identificados.

“Nosso extenso perfil de reatividade de anticorpos de resolução em nível de epítopo em indivíduos convalescentes COVID-19, confirmado por ensaios independentes, fornece novos epítopos que podem servir como alvos importantes no desenvolvimento de melhores diagnósticos, vacinas e terapêuticas contra SARS -CoV-2, variantes preocupantes e perigosos coronavírus humanos que podem surgir no futuro”, concluiu os autores do estudo.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!