Nesta quarta-feira (30), é comemorado o Dia Mundial dos Asteroides. A data foi criada pela organização Asteroid Day e sancionada pela Organização das Nações Unidas, a ONU, em dezembro de 2016. Este dia 30 de junho também marca o aniversário de 113 anos da queda de um asteroide na planície de Tunguska, na Sibéria. O acidente só não foi catastrófico porque aconteceu em um local quase desabitado, mas levantou a necessidade do monitoramento constante dos objetos que transitam pela órbita terrestre…

No Brasil, o trabalho de acompanhar os asteroides se concentra no esforço de astrônomos amadores que, mesmo sem qualquer investimento público, têm se destacado nessa área.

publicidade

Nos últimos anos, o Observatório SONEAR, em Oliveira, Minas Gerais, e o Observatório Campo dos Amarais, o OCA, em Bilac no interior de São Paulo, foram as instituições que mais descobriram asteroides entre todos os observatórios amadores do mundo.

Para o engenheiro, físico e astrônomo amador Cristóvão Jacques, os astrônomos amadores tem um papel fundamental na descoberta desses corpos celestes. E quanto antes eles forem descobertos, mais tempo temos para agir em um possível impacto.

Mas calma, para gerar grandes consequências globais, um asteroide deve ter, pelo menos, 1km de diâmetro.

Portanto, neste Dia Mundial dos Asteroides, e em todos os outros dias do ano, é importante valorizar o trabalho desses profissionais, que atuam na proteção e segurança do nosso planeta contra os perigos do universo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!