As vítimas de queimaduras graves podem ser beneficiadas por uma pesquisa feita na Suíça. Lá está sendo desenvolvida uma tecnologia capaz de criar pele artificial expansível.

Células cutâneas coletadas dos próprios pacientes e depois cultivadas em laboratório são combinadas com hidrogel. O material que sai da máquina da CUTISS pode ser expandido até cem vezes o tamanho original.

publicidade

A espessura resultante é de 1 milímetro, aproximadamente a mesma das nossas camadas de pele naturais. A aplicação resulta em uma recuperação mais rápida e natural de locais afetados por queimaduras ou doenças de pele.

Mesmo ainda em testes, a tecnologia já está sendo usada em tratamentos reais, mas a empresa estima que a tecnologia esteja disponível em larga escala daqui a dois anos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!