Morreu neste sábado (24) o ex-ministro de Ciência e Tecnologia Marco Antônio Raupp, aos 83 anos. Ele ocupou o cargo por pouco mais de dois anos no segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff, do PT. Há quase oito anos Raupp foi diretor-geral da Associação Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). De acordo com a família, o ex-ministro, que deixa a esposa, sete filhos e 13 netos, sofreu insuficiência respiratória aguda, decorrente de um tumor cerebral.

O ex-ministro também já foi diretor e pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), além de presidir a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Ele também foi membro titular da Academia Internacional de Astronáutica (IAA).

publicidade

Raupp era livre-docente pela Universidade de São Paulo (USP) – onde foi professor associado no Instituto de Matemática e Estatística – e doutor em Matemática pela Universidade de Chicago. Sua carreira foi dividida entre atividades acadêmicas e a gestão de instituições de ciência e tecnologia. Ele era um dos maiores defensores da integração entre a instituição de pesquisa e o setor produtivo.

Leia também!

Na nota oficial do falecimento de Raupp, o diretor-geral do parque, Marcelo Nunes, deixou algumas palavras.

“Perde a ciência e a inovação. Ser humano ímpar, Marco Antonio Raupp é um ícone em nosso pais, responsável por atos arrojados, e deixa um legado de desenvolvimento tecnológico e o respeito de todas pessoas que, assim como ele, tinham a dedicação em aprender sempre. Raupp conseguia entender as dificuldades e necessidades de startups a multinacionais, agia sempre em busca de levar a tecnologia como um diferencial e fez do PqTec o maior e mais respeitado parque do Brasil”, disse Nunes.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!