Rochas “macias demais”. Essa é a explicação encontrada pela Nasa para explicar a falha na extração de uma amostra do solo de Marte pelo rover Perseverance.

Segundo os engenheiros da agência espacial americana, a constituição das pedras não era resistente o suficiente para produzir uma amostra utilizável. O tubo de armazenamento ficou vazio, deixando apenas fragmentos de poeira nos buracos perfurados no chão, com cerca de 8 centímetros de profundidade.

publicidade

A coleta por meio de perfuração quer obter amostras de solo que sofreram menos efeitos da radiação solar.

Mas essa falha não significa que todas as pedras de Marte são frágeis. O Perseverance prossegue o percurso em direção ao próximo ponto de coleta de amostras, com previsão de chegada para o início de setembro.

A expectativa da Nasa é obter cerca de 35 amostras de solo de diferentes pontos de Marte nos próximos 10 anos. Todas devem chegar à Terra por meio de uma espaçonave em uma futura missão.