A Toyota venceu neste domingo (22), pela quarta vez consecutiva, as 24 Horas de Le Mans, mas com um trio diferente dos últimos três anos. Em 2021, foi o carro #7, pilotado por Mike Conway, José María López e Kamui Kobayashi, que finalmente cruzou a linha de chegada em primeiro, após uma série de acidentes e falhas mecânicas nas provas passadas. A prova deste ano também foi marcada pela estreia dos hipercarros (LMH), a nova classe principal do endurance.

Vitorioso de 2018 a 2020, o carro #8, com o trio Sébastien Buemi, Brendon Hartley e Kazuki Nakajima, chegou em segundo, a duas voltas dos líderes. O brasileiro André Negrão dividiu o protótipo #36 da Alpine com os franceses Nicolas Lapierre e Matthieu Vaxviere e fechou a corrida em terceiro na classificação geral.

publicidade
Trio Conway/López/Kobayashi comemora vitória da Toyota em Le Mans-2021
Conway, López e Kobayashi comemoram com a equipe: triunfo inédito do trio em estreia dos hipercarros (Toyota/Divulgação)

Problemas com combustível não tiraram vitória da Toyota

Sob piso molhado, Conway largou da pole position com o Toyota GR010 #7, enquanto o colega de equipe Buemi, no Toyota GR010 #8, se enroscou com o Glickenhaus #708 de Oliver Pla nos primeiros metros e caiu para o fundo do páreo. A partir daí, enquanto o Toyota #8 penava para escalar de volta o pelotão, o #7 tinha uma corrida sem problemas, sobrevivendo a uma noite cheia de incidentes na pista, especialmente na classe LMP2.

Toyota #7 no circuito de Le Mans
Pela primeira vez, Toyota #7 cruzou a linha de chegada na posição principal em Le Mans (Toyota/Divulgação)

Com oito horas de percurso, a Toyota conseguiu retomar a dobradinha na frente e partir para vencer Le Mans mais uma vez. Problemas com a alimentação de combustível chegaram a atrapalhar o protótipo #8, limitando-o a turnos mais curtos, mas nada afetaria a hegemonia dos carros japoneses.

Kobayashi, emocionado, recebeu a bandeira quadriculada para o carro #7, que enfim encontrou sua redenção em La Sarthe. Vale lembrar que, em 2017, Kobayashi e Conway lideravam a corrida de forma confortável até o protótipo sofrer uma falha na embreagem no pitlane e obrigar o trio — à época com Stéphane Sarrazin no lugar de López — a sair da prova. A vitória acabou ficando com a Porsche.

Acidentes e outras classes

A corrida deste ano teve 18 abandonos, sendo o primeiro deles o mais impactante. Na 46ª volta, o brasileiro Marcos Gomes, guiando na classe GTE-Am, perdeu controle do seu Aston Martin Vantage e se espatifou contra a barreira de pneus na Indianápolis.

Felizmente, o veterano da Stock Car saiu ileso da colisão, mas a batida chegou a assustar quem assistia à corrida na hora.

WRT vence o circuito na classe LMP2

Na classe LMP2, a vitória ficou com o trio da WRT formado por Robin Frijns, Charles Milesi e Ferdinand von Habsburg (o herdeiro da histórica dinastia europeia dos Habsburgo), que correram com um Oreca-Gibson 07.

Entre os GTs (carros de turismo), a Ferrari venceu nas classes Pro e Am com a 488 GTE Evo: na primeira, com James Calado, Alessandro Pier Guidi e Come Ledogar; e na última, com Nicklas Nielsen, François Perrodo e Alessio Rovera.

A edição 2021 das 24 Horas de Le Mans integra o calendário do Mundial de Endurance (WEC). O próximo evento são as 6 Horas do Bahrein, no dia 30 de outubro.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!