Internet e Redes Sociais

TikTok: influenciadores LGBTQ recusam patrocínio de algumas marcas

26/08/21 12h19
bandeira LGBTQ

Imagem: Astrobobo (Pixabay)

O TikTok se tornou uma das redes sociais com mais engajamento do mundo e um grande número de criadores, que dependem de patrocínio para conseguirem lucrar na plataforma. No entanto, muitos influenciadores LGBTQ estão se recusando a fazem campanha para determinadas marcas.

Uma reportagem do The Verge mostra como esse grupo age para tentar não fazer publicidade para empresas que não defendem, de fato, pautas LGBTQ. Isso ficou evidenciado em junho, Mês do Orgulho, em que os influenciadores da classe tiveram recorde de procura de marcas no TikTok.

O que acontece, segundo a reportagem, é que muitas marcas quiseram apenas se apresentar como defensoras da comunidade LGBTQ e aproveitar o mês comemorativo para isso no TikTok. No entanto, muitas dessas empresa sequer possuem iniciativas para esse público.

Além disso, muitas companhias querem a imagem dos influenciadores apenas por eles serem considerados, pelos executivos, como diferentes. “Eles me olharam como se eu fosse uma espécie de zebra”, disse a influenciadora automotiva Chaya Milchtein.

“Acho maravilhoso que as marcas tenham tornado uma coisa comum dedicar suas páginas para comemorar o Mês do Orgulho, ou pelo menos fazer uma postagem ou mudar seus logotipos”, explicou Zoe Stoller, educadora LGBTQ e especialista em saúde mental.

LGBTQ no TikTok

“O problema surge quando é muito hipócrita e muitas vezes fica muito claro quando isso acontece. Você sabe, quando uma empresa apenas muda seu logotipo para arco-íris, mas não tem nenhum criador LGBTQ compartilhando coisas em sua página”, completou ainda.

Além disso, o fato do TikTok ser uma plataforma nova e ainda pouco explorada pelas empresas faz com que os influenciadores da rede social, inclusive LGBTQ, sejam pouco valorizados pelo mercado. Segundo a reportagem, muitas marcas não oferecem pagamento pela publicidade solicitada.

Isso faz com que muitos criadores acabem cobrando valores mais baixos do que em outras plataformas. “Muitos influenciadores, especialmente no TikTok, porque é um gênero de trabalho tão novo, vão se vender abaixo do esperado”, revelou Meiya Sparks Lin, que possui um canal sobre maquiagem e política com mais de 311 mil seguidores.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Sugeridos pra você
Tags