Uma equipe descobriu como comparar as alterações genômicas em células cancerosas que são erradicadas e resistentes ao tratamento pode ser usado para identificar alvos moleculares para a terapia do câncer de próstata. No estudo, eles abordaram a Eradicação Diferencial de Subclones e Análise de Resistência (DSER) para identificar alvos moleculares para terapia aprimorada no câncer de próstata.

O estudo demonstra que a abordagem fornece um passo intermediário informativo para a medicina eficaz do câncer de precisão e deve ser testada em estudos futuros, especialmente aqueles que incluem regressão tumoral. Uma equipe internacional liderada por pesquisadores da Universidade de Tampere e da Universidade da Finlândia Oriental descobriu como comparar as alterações genômicas em células cancerosas que são erradicadas e resistentes ao tratamento pode ser usado para identificar alvos moleculares para a terapia do câncer de próstata.

publicidade

Leia também:

O método realiza uma comparação direta de características genômicas de células cancerígenas erradicadas e resistentes em amostras pré e pós-tratamento de um paciente. O estudo utilizou um único paciente com câncer de próstata metastático, “A34”, para demonstrar a utilidade e potencial do método DSER.

O paciente foi estudado anteriormente pelo professor Bova e sua equipe em seu trabalho em 2020, além de ser o primeiro caso demonstrado de erradicação de células cancerosas devido ao tratamento em um tumor sólido.

“No futuro, o uso de drogas direcionadas a genes identificados usando DSER pode ajudar a garantir que todas as células cancerosas em um paciente permaneçam suscetíveis à terapia”, descreveu o professor Bova. Além disso, os pesquisadores também encontraram evidências de ativação em ​​outras amostras de tumor, como em modelos de xenoenxertos derivados de pacientes e em células de câncer de cabeça e pescoço pós-quimioterapia.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!