A Apple anunciou nesta terça-feira (14) seus novos celulares, dentro da linha iPhone 13. Junto de melhorias em diversos pontos e outras novidades, a marca americana também mudou o catálogo de produtos disponíveis para o usuário, descontinuando o iPhone XR depois de três anos no mercado.

O iPhone XR foi uma das primeiras experiências da Apple no segmento de aparelhos menos caros, mas ainda assim com o mesmo processador do lançamento mais custoso da marca para aquele ano. A receita deu tão certo, que este modelo foi o celular que mais vendeu no mundo inteiro por quatro trimestres seguidos desde seu lançamento em 2018, fechando 2019 como o aparelho mais vendido do planeta – seguido pelo iPhone 11 e o Galaxy A10.

publicidade

Leia também

Em 2020 o interesse pelo modelo diminuiu e este cenário seguiu assim em 2021, fazendo o mercado abrir espaço para outros celulares. Agora, três anos depois do iPhone XR aparecer no palco de anúncios da Apple, ele deixa de ser vendido pela empresa da maçã.

iPhone XR (Imagem: divulgação/Apple)
iPhone XR (Imagem: divulgação/Apple)

O iPhone XR era quase um iPhone XS

Em seu lançamento, o iPhone XR foi apresentado como uma versão menos competente do iPhone XS. Olhando para a ficha técnica do celular, esse cenário não era bem assim e acabou sendo favorável para o modelo mais em conta em muitos pontos.

Ele perdia em tela LCD e não OLED, não tinha 3D Touch quando esse recurso ainda existia nos iPhones e era certificado para a metade da profundidade em água doce, quando comparado ao iPhone XS. O iPhone XR também utilizava 1 GB a menos na RAM e só tinha uma câmera traseira.

Por outro lado, tanto ele, quanto o celular mais caro da Apple daquele ano (o iPhone XS Max), utilizam o mesmo chip A12 Bionic com 7 nanômetros, equipado com seis núcleos, na mesma velocidade e a mesma placa gráfica. Olhando para o lado positivo, o iPhone XR conta com mais bateria e exibe menor resolução na tela, uma somatória pronta para autonomia consideravelmente maior e até mais desempenho, já que a GPU tem menos trabalho.

Em câmeras, mesmo com um sensor a menos, o iPhone XR é capaz de fazer o modo retrato. Ele utiliza software para esse trabalho, mas faz basicamente com os mesmos resultados do iPhone XS mais caro.

Tudo isso com preço menor. No lançamento, o iPhone XR chegou ao Brasil custando a partir de R$ 5.199 para o modelo com 64 GB de memória, contra R$ 7.299 para o mesmo espaço interno de um iPhone XS. A diferença fez o iPhone XR custar 28,77% menos que o iPhone XS.

iPhone XR (Imagem: divulgação/Apple)
iPhone XR (Imagem: divulgação/Apple)

iPhone 11 toma o lugar do iPhone XR

Agora, com o lançamento da linha iPhone 13 e o fim do iPhone XR, a Apple trocou o espaço do celular mais em conta (antes de chegar no iPhone SE) com o iPhone 11. Colocando os dois lado a lado, existe uma pequena evolução na capacidade de hardware ao trocar o chip A12 Bionic pelo A13 Bionic, além de 1 GB extra para RAM, chegando em 4 GB.

A câmera frontal do iPhone 11 tem 12 megapixels contra 7 no iPhone XR, além de um sensor extra na parte traseira, permitindo fotos e vídeos em ultrawide. A tela continua a mesma, com LCD e resolução em 1792 x 828 pixels, mas agora o celular pode mergulhar em até dois metros de profundidade.

Neste momento o iPhone 11 custa exatamente o mesmo valor cobrado pela Apple para o iPhone XR: R$ 4.999.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!