Cientistas da Northwestern University em Illinois, nos Estados Unidos criaram um chip com asas que é a menor estrutura voadora já produzida pelo ser humano.

Segundo os cientistas, esse chip é pequeno e leve o suficiente para ser levado pelo vento, e o design permite que ele gire como um helicóptero, não só torna segura a queda até o chão, mas também aumenta o tempo em voo.

publicidade

Chamados microfliers, esses pequenos chips voadores contam com tecnologia ultra-miniaturizada que inclui sensores, fonte de energia e antena para comunicação sem fio, além de memória para guardar dados colhidos.

A ideia é usar esses minúsculos sensores para medir o meio-ambiente e monitorar eventuais contaminações, ou fazer reconhecimento de populações, e até realizar o rastreamento de doenças.

Os objetos têm duas partes, a primeira o componente eletrônico do tamanho de um grão de areia, e a segunda, as estruturas que simulam asas, e interagem com o vento para aumentar o tempo de voo de cada chip. Com um peso praticamente insignificante e esse design único, os dispositivos podem ser levados pelo vento, e assim conseguem permanecer no ar pelo maior tempo possível, o que os permite coletar mais informações e dados relevantes.

Alguns dos microfliers usam um material especial criado no laboratório da Northwestern University, que torna o dispositivo biodegradável, sendo dissolvido em água.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!