Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, estão trabalhando no desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19 que não precisam ser armazenadas em geladeiras ou freezers.

O processo é de suma importância para garantir a produção e disponibilização das vacinas em locais com menos recursos, tendo em vista que os atuais imunizantes do mercado necessitam ser armazenados em baixas temperaturas.

publicidade
Profissional da saúde aplicando a vacina em adolescente
Cientistas criam vacina contra a Covid-19 que não precisa ser armazenada em geladeira. Imagem: Shutterstrock

O novo imunizante é feito com base em vírus de plantas e bactérias que possam suportar o calor. “O empolgante sobre nossa tecnologia é que ela é termicamente estável, de modo que pode facilmente chegar a lugares onde instalar freezers de temperatura ultrabaixa ou ter caminhões circulando com esses freezers é impossível”, disse a professora de nanoengenharia da Escola de Engenharia da Universidade da Califórnia, Nicole Steinmetz.

De acordo com a pesquisa, a vacina utiliza feijão e bactérias E. coli para cultivar milhões de cópias do vírus na forma de nanopartículas. Essas partículas são anexadas a um pedaço da proteína spike do SARS-CoV-2, o que estimula o corpo a desenvolver uma resposta imunológica contra a Covid-19.

Leia também!

“O cultivo de plantas é relativamente fácil e envolve infraestrutura não muito sofisticada e a fermentação com bactérias já é um processo estabelecido na indústria biofarmacêutica”, explicou Steinmetz.

Por ora, o novo imunizante ainda está em faz inicial de desenvolvimento, tendo sido testado apenas em camundongos que apresentaram uma alta resposta imunológica. Os próximos passos requerem a testagem em humanos para verificar a segurança e eficácia real do imunizante.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!