A Ford e a Universidade Purdue anunciaram uma pesquisa conjunta para vencer uma barreira para a universalização dos veículos elétricos: o tempo de carregamento.

A ideia da parceria é criar uma nova forma de carregamento combinando a tecnologia na estação e no próprio veículo. E essa forma deve tomar segundos, tão rápida quanto encher um tanque.

publicidade

O segredo nem é tão segredo assim: é o resfriamento.

“Carregadores hoje são limitados na velocidade com que podem carregar a bateria de um veículo elétrico pelo risco de superaquecimento”, afirmou Michael Degner, do grupo de pesquisa e engenharia avançada da Ford. “Quanto maior a corrente, maior a quantidade de calor que deve ser removida para manter o cabo operacional.”

Carregamento atrasa a vida do elétrico

A ideia principal da pesquisa, assim, é criar um cabo que aceite uma corrente maior sem superaquecer. O cabo deve usar resfriamento líquido , usando de evaporação como forma de diminuir sua temperatura. É algo que não existe no mercado hoje.

“O carregamento de veículos elétricos pode variar muito, entre 20 minutos em um posto até horas numa estação doméstica, e isso pode ser uma fonte de ansiedade para pessoas que estão considerando comprar um veículo elétrico”, afirmou Issam Mudawar, professor de engenharia na Purdue. “Meu laboratório criou uma solução para situações em que a quantidade de calor produzida estão além das capacidades das tecnologias de hoje.”

Segundo o professor, a ideia é testar o supercabo pelos próximos dois anos para determinar qual seria a velocidade ideal para cada modelo de veículo elétrico.

“A Ford está comprometida em tornar a transição para elétricos fácil”, afirma Degner. “Estamos felizes de trabalharmos próximos da equipe de pesquisa da Universidade de Purdue, que tem o potencial de fazer a aquisição e operação comercial de veículos elétricos mais atraente e acessível.”

Via Electric Cars Report

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!