O mundo dos games do gênero battle royale está cheio de grandes jogos e entre eles, Free Fire. É nesse universo que a Garena busca diversas soluções para se destacar.

Free Fire está sempre no topo, ou perto dele, quando o assunto são estatísticas globais e é um dos jogos mais bem sucedidos entre jogos de tiro, battle royale ou não, mas ainda tem dificuldades para penetrar na mídia gamer ocidental.

publicidade

O sucesso é tão grande que, de acordo com a App Annie, Free Fire vem sendo o jogo mais baixado no mundo nos últimos três anos, e ano passado ficou atrás apenas de PUBG Mobile, Roblox e Candy Crush Saga em usuários ativos mensais.

“Com certeza superou as nossas imaginações mais loucas de quando começamos o jogo,” disse o produtor Harold Teo ao Games Industry. “Quando desenvolvemos Free Fire, nós queríamos criar algo que era especificamente para celulares, e algo que pudesse engajar uma audiência ampla. A penetração dos smartphones estava crescendo, e nós podíamos tocar muitos jogadores.”

Mas, fato é que o gênero de battle royale está lotado de títulos famosos, como PUBG e Fortnite. Então, a resposta da Garena para essa concorrência tem sido adicionar mais variedade ao jogo. Mesmo que Free Fire continue sendo conhecido amplamente como mais um concorrente do gênero battle royale, o jogo tem se expandido ao longo dos anos, adicionando modos de jogo que a Garena espera separar Free Fire dos concorrentes.

Exemplos disso são o modo Clash Squad, um deathmatch quatro-contra-quatro que permite partidas mais curtas, ou Pet Mania, em que os jogadores são transformados em animais e competem em corridas e desafios, seja entre times ou indivíduos.

free fire
Modos de jogo como Pet Mania são destacados como um dos diferenciais de Free Fire em relação aos concorrentes. Divulgação/Garena

“Competição é definitivamente algo que nós estamos muito acostumados no espaço de jogos mobile. Toneladas de aplicativos estão sendo lançados na App Store todos os dias. Então, eu acho que o mais importante para a Garena, e especificamente Free Fire, é estar focado no que nós estamos fazendo, e não ser levado pelo que outras pessoas estão fazendo. Nós temos objetivos específicos em mente, que são para fazer o jogo tão acessível quando for possível, alcançar uma audiência ampla e servir nossos usuários,” explicou Harold Teo.

E quando o assunto é “acessível”, o produtor aponta para o tempo. “O mais longo que qualquer partida de Free Fire dura são 20 minutos. Alguns desses modos de jogo – como Clash Squad – são muito mais curtos do que isso. Você pode jogar por dez minutos, cinco minutos, mas o mais longo pode ser 20 minutos. Se você comparar isso com alguns de nossos competidores, é bem curto.”

Mas a acessibilidade também está no espaço ocupado nos smartphones. “Se nosso jogo tem 4GB, 8GB ou algo do tipo, então as pessoas tem que pensar duas vezes sobre instalar,” comentou Teo. “Eles tem que apagar alguns aplicativos em seus telefones, e às vezes até a capacidade inteira do telefone pode não ser capaz de encaixar esse tipo de jogo. Mesmo hoje, uma das prioridades do time é fazer o aplicativo o mais leve possível.”

Inclusive, o produtor aponta três fatores que fazendo com que Free Fire continue a atrair usuários, e a leveza do aplicativo é um deles. Os demais são conteúdo, com variedade de modos e colaborações com outras companhias em eventos dentro do jogo, e localização, tanto com as línguas disponíveis no jogo, quanto eventos especiais específicos para cada região ou país.

“Cada jogador de Free Fire em cada região tem touchpoints e experiências extremamente diferentes,” explicou Teo. “Grandes eventos e conteúdos, como o de Money Heist, ou a colaboração com Cristiano Ronaldo que fizemos em dezembro de 2020, são colaborações globais que todo mundo vai ser capaz de aproveitar. Mas conteúdos localizados com celebridades locais… entrega uma experiência local para Free Fire. Atinge um pouco mais perto de casa, e esse é o tipo de impacto que queremos criar.”

Leia mais!

O crescimento de Free Fire atingiu outro patamar após o lançamento de Free Fire Max, a versão superior do jogo construída para dispositivos mais modernos. Mas, apesar do barulho em torno dessa nova versão de Free Fire, a Garena vem tomando cuidado para enfatizar que tanto Free Fire Max quanto o Free Fire Original são interoperáveis, e a companhia continuará a dar suporte para ambos.

“Todo o conteúdo que nós construímos – por exemplo, colaborações musicais que casemos, os eventos originais que fazemos – eles servem a ambos os nossos apps, então não existem atividades que são exclusivas para um ou outro,” explicou Teo.

Free Fire Max o prêmio de User’s Choice Game de 2021 em sete territórios, inclusive no Brasil, o que indica que embora o jogo possa não ganhar tanta atenção na mídia, é extremamente popular entre o público.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!