Nesta segunda-feira (28), aconteceu o primeiro lançamento espacial da Rocket Lab em 2022. A empresa aeroespacial norte-americana, com sede na Califórnia, anunciou a conclusão de uma segunda plataforma de lançamento na Nova Zelândia no último dia 23, e foi de lá que o foguete Electron decolou levando um satélite japonês.

Foguete Electron, da Rocket Lab, decolou com sucesso no primeiro lançamento da empresa em 2022. Imagem: Rocket Lab

A missão, apelidada de “A Noite da Coruja Continua”, foi lançada com sucesso às 15h37 EST (17h37, pelo horário de Brasília), marcando o 24º voo de um Electron. A bordo do veículo estava um satélite de observação da Terra ‘Strix’ para a empresa Synspective, do Japão.

publicidade

O nome da missão é, como tradição na empresa, um trocadilho. Strix é um gênero de corujas, parte de uma (Strigidae) das duas famílias destas aves existentes no mundo.

Poucos minutos após a decolagem, houve o desligamento bem-sucedido dos nove motores Rutherford no primeiro estágio do foguete.

“‘A Noite das Corujas Continua’ é nosso segundo lançamento para nossos amigos da Synspective , seguindo a série ‘A Noite das Corujas’, que foi lançada em dezembro de 2020″, postou a Rocket Lab no Twitter, pouco antes do lançamento.” Estamos entusiasmados em fazer parceria com a Synspective novamente para continuar adicionando à sua constelação de radar de abertura sintética”.

Pad B (LC-1B), a nova plataforma, é a segunda a ser construída no Launch Complex 1 (LC-1), um local excepcionalmente remoto localizado na ponta da Península Mahia, na Ilha Norte da Nova Zelândia. 

Além de ser o primeiro local de lançamento orbital totalmente privado do mundo, a conclusão da plataforma LC-1B faz dela a terceira construída pela Rocket Lab, contando com uma que ainda não foi usada no Wallops Flight Facility da Nasa, na costa leste da Virgínia, nos EUA. Os três locais foram projetados exclusivamente para o pequeno foguete Electron da empresa.

Com a adição do Pad B, a Rocket Lab espera aumentar drasticamente sua regularidade de lançamentos. “A capacidade de lançamento e nossa cadência de lançamento são essencialmente dobradas por ter uma plataforma adicional na LC-1”, disse o fundador e CEO da Rocket Lab, Peter Beck.

Em um terreno antes sem utilidade na região da Baía de Hawke, foi erguido um importante complexo com instalações privadas de controle, três salas limpas para montagem de satélites, um hangar de montagem de foguetes que pode processar vários veículos para lançamento de uma só vez, escritórios administrativos e, agora, duas plataformas de lançamento orbitais.

Electron foi o segundo foguete norte-americano mais lançado em 2021

Dos 23 lançamentos do foguete Electron feitos em 2021, 20 foram bem sucedidos. O veículo tem cerca de 18 m de altura e foi projetado para transportar principalmente pequenos satélites para a órbita baixa da Terra. 

Originalmente, a 24ª missão da Rocket Lab estava programada para levar um lote de mais dois satélites de imagem da Terra da BlackSky em órbita em 4 de fevereiro, mas o cliente solicitou tempo adicional por razões desconhecidas. 

Com 23 lançamentos, o Rocket Lab Electron foi o segundo foguete norte-americano mais lançado em 2021. Imagem: Rocket Lab/Divulgação

Com o adiamento, a Rocket Lab conseguiu não apenas concluir a construção da nova plataforma de lançamento, mas também preparar um foguete Electron para lançar a carga de outro cliente da mesma plataforma.

Beck se diz orgulhoso da trajetória da empresa nos últimos anos. “Mesmo com somente um local no complexo de lançamento, o Electron rapidamente se tornou o segundo foguete norte-americano mais lançado do ano [2021]. Agora, temos dois locais no complexo de lançamento e um terceiro na Virgínia. Imagine o que três bases em dois continentes podem fazer para manter o cronograma, a flexibilidade e a capacidade de resposta para operadoras de satélite em todo o mundo”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!