A Meta anunciou que removeu uma rede de informações falsas sobre a invasão da Rússia na Ucrânia. De acordo com a empresa, dona do Facebook e Instagram, cerca de 40 contas compunham o grupo que espalhava fake news nas redes sociais.

A rede foi desfeita no momento em que tinha pouco mais de 4 mil seguidores no Facebook e outros 500 no Instagram. “É um sinal de que, embora esses atores estejam tentando executar esses tipos de operações de influência, eles estão sendo pegos mais cedo e não estão alcançando o público que teriam alcançado há alguns anos”, disse o chefe de política de segurança, Nathaniel Gleicher, à NPR. 

publicidade

Leia também!

A Meta ainda relatou que as contas tinham vínculo com sites que se passavam por agências de notícias independentes que apontavam que o Ocidente traiu a Ucrânia e que o país invadido estava falido.  

Além disso, o grupo também divulgava que os soldados ucranianos receberam os russos de braços abertos e que os resistentes utilizam civis como escudos humanos. Entre as fakes news mais populares, estava o fato que a Ucrânia estava usando munição proibida pela Organização das Nações Unidas (ONU) contra as tropas da Rússia.  

A Meta também relatou que notou atividades hackers contra contas oficiais de militares e figuras públicas ucranianas.

russia x ucrânia
Presidente russo, Vladimir Putin, autoriza operação militar no leste da Ucrânia Imagem: Twitter

A Meta não é a única a eliminar contas responsáveis por informações falsas da guerra entre Rússia e Ucrânia. O Twitter também informou que está ocupado excluindo perfis que disseminam mentiras sobre o conflito que se iniciou na semana passada. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!