Scott Galloway, um professor da Universidade de Nova York (NYU), aponta que o bilionário sul-africano Elon Musk não pode se dar ao luxo de comprar o Twitter no momento. Pelo menos, não sem conseguir dezenas de bilhões de dólares emprestados.

O especialista declarou em entrevista ao podcast Pivot que, apesar de o CEO da Tesla ser dono de uma fortuna estimada em quase US$ 260 bilhões, Musk não teria como seguir com a aquisição sem colocar uma boa parte das ações da sua montadora de carros elétricos como parte do negócio.

publicidade
elon musk twitter
Elon Musk não pode comprar o Twitter sem conseguir dezenas de bilhões de dólares emprestados, diz especialista. Imagem: Rokas Tenys/Shutterstock

O que faz sentido, já que, segundo o índice Bloomberg Billionaires, o executivo possui em espécie “apenas” US$ 2,95 bilhões.

Galloway, que é professor de marketing na NYU, acrescentou que “nenhuma empresa vai emprestar mais que um bilhão” à Musk, obrigando o executivo a apostar pelo menos US$ 40 bilhões de patrimônio da empresa.

“A única fonte viável de financiamento para ele é tomar emprestado ações da Tesla”, acrescentou. Ainda assim, segundo o professor, Musk teria que ir a vários bancos, que colocariam “enormes exigências de margem”. 

No fim, se a estratégia não funcionar e as ações perdessem metade do valor, por exemplo, Musk seria forçado a vender os papéis, comentou Galloway. Impactando o desempenho da Tesla na bolsa.

Leia mais:

Oferta de mais de US$ 40 bilhões pelo Twitter

Vale lembrar que o CEO da Tesla fez uma oferta de US$ 43 bilhões na última semana para comprar a rede social. Semanas antes, Musk adquiriu uma participação de 9,2% na empresa, o que o tornou o maior acionista individual do microblog.

Via: Business Insider

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!