Em apenas um mês, os ativos de criptomoedas perderam US$ 800 bilhões em valor de mercado. O dado é do site CoinMarketCap e é referente a abril. Nesta terça-feira (10), o mercado atingiu um mínimo de US$ 1,4 trilhão, impactado principalmente pelo fim da política monetária que diminuiu o interesse dos investidores pelos ativos digitais. 

Bitcoin em queda catastrófica 

Representando 40% do mercado de criptomoedas, o Bitcoin atingiu, nesta segunda-feira (9), a pior baixa dos últimos 10 meses, recuando para US$ 30 mil, tendo uma recuperação ao longo do dia. Por volta das 15h desta terça-feira (10), o valor da criptomoeda estava em US$ 31.722,90. A queda foi de 54% em comparação a alta histórica registrada no dia 10 de novembro, quando estava orçado em US$ 69 mil. 

publicidade

As quedas acentuadas foram reflexo do mercado de ações, que também tiveram consideráveis baixas por conta dos temores em relação ao aumento nas taxas de juros em escala mundial, sendo uma medida para conter a inflação. 

O índice Nasdaq, que mede os investimentos em tecnologia, caiu 28% em relação ao recorde registrado em novembro de 2021. 

“O Bitcoin permanece altamente correlacionado com as condições econômicas mais amplas, o que sugere que o caminho a seguir pode, infelizmente, ser difícil, pelo menos por enquanto”, informou em nota o provedor de dados blockchain Glassnode. 

Imagem ilustra queda no valor do Bitcoin no mercado de criptomoedas
Bitcoin foi a criptomoeda mais afetada com as quedas, registrando a pior perda de valor dos últimos 10 meses. Imagem: Jin Odin/Shutterstock

Leia mais:

Mercado enfraquecido 

Agora, diante do cenário sombrio, os investidores estão evitando as moedas criptográficas, principalmente após as quedas que atingiram até mesmo a Terra USD, a quarta maior stablecoin do mundo. 

Ela perdeu um terço do valor em relação ao dólar, somente nesta terça-feira (10). Já o Bitcoin ainda tem procura em razão da queda no preço, o que influenciou na entrada de US$ 45 milhões na semana passada. 

Via: Reuters 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!