Atualmente, maio pode ser considerado o mês com o menor avanço da vacinação contra a Covid-19. A aplicação da terceira dose da vacina caiu cerca de 57,6% nos primeiros 15 dias de maio, em comparação com abril.  

Acredita-se que quatro a cada 10 brasileiros aptos para tomar a terceira dose do imunizante – aqueles com mais de 18 anos e que tenham tomado a segunda dose há mais de quatro meses – ainda não foram reforçar a proteção.  

publicidade

Leia também!

Ao analisar a primeira quinzena de maneira geral, é possível apontar uma queda de 40,7% na média diária de doses aplicadas, quando comparado com o mês anterior. A média diária de maio foi de 250 mil doses aplicadas.  

publicidade

Cerca de 56,5 milhões de pessoas estão apenas com duas doses do imunizante, enquanto outros 18,5 milhões só receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19. E, aproximadamente, 86,5 milhões de brasileiros já tomaram as três doses. 

“Preocupa, neste sentido, a estagnação no crescimento da cobertura vacinal na população adulta, além da desaceleração da curva de cobertura de terceira dose, especialmente pela adesão substancialmente menor de adultos à aplicação da dose de reforço”, afirmam pesquisadores do Observatório Covid-19 da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).  

publicidade
Crédito: Viacheslav Lopatin/Shutterstock

“O Brasil ainda se encontra sob o efeito combinado do predomínio da variante Ômicron e cobertura de grande parte da população por pelo menos duas doses de vacinas. O cenário atual, porém, ainda pode trazer preocupação. A ocorrência de internações tem sido consistentemente maior entre idosos, em comparação às de adultos. Por se tratar de um grupo etário vacinado no início de 2021, a imunidade induzida pode se reduzir ao longo dos próximos meses, com possível aumento de casos e óbitos entre pessoas sem doses de reforço”. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!