Em meio às especulações de que algo não vai bem na companhia. A Meta decidiu adotar recentemente um congelamento de contratações para funções na área de engenharia, recrutadores e cientistas de dados, além de anunciar a redução de investimentos em alguns produtos.

A decisão gerou frustração entre os funcionários, que já esperam por possíveis rodadas de demissão. Segundo as informações do The Verge, o CEO Mark Zuckerberg tentou acalmar os ânimos em uma reunião interna na semana passada. O executivo afirmou que cortes de empregos ainda não estão nos planos da Meta.

publicidade

“Não posso sentar aqui e fazer uma promessa permanente de que, à medida que as coisas mudarem, não teremos que reconsiderar isso”, disse Zuckerberg. “O que posso dizer é que, a partir de onde estamos hoje, nossa expectativa é que não teremos que fazer isso”.

Leia mais:

Equipes da Meta receberam a informação com surpresa

Smartphone com logotipo da Meta, a nova marca do Facebook
Imagem: Sergei Elagin/Shutterstock

Os recrutadores da empresa foram informados há poucos dias que não poderiam mais contratar novos engenheiros. Entre os times mais afetados, estão os responsáveis pelo Facebook Gaming, Messenger Kids, colaboradores da área de comércio e também a equipe dedicada para criar recursos para competir com rivais como o Zoom, uma das apostas da empresa feitas ao longo da pandemia. 

Em contrapartida, Joe Osborne, porta-voz da Meta, afirma que o recuo nas contratações atinge apenas áreas específicas, segundo ele a empresa segue recrutando funcionários normalmente para outras funções, como aprendizado de máquina (machine learning) e inteligência artificial. 

“Como mencionamos em nossos ganhos recentes, estamos avaliando as principais prioridades em toda a empresa”, disse Osborne.

“Sempre que reduzimos as metas de crescimento, você sempre ouve um monte de especulações como: “Ok, estamos com problemas? Ou algo mais dramático vai acontecer?’”, disse Zuckerberg durante a reunião. “Obviamente se tudo estivesse indo exatamente como planejamos, não estaríamos mudando isso. Mas quero deixar claro que estamos em uma posição muito forte e temos um negócio muito saudável, e ainda estamos crescendo rapidamente”, concluiu o CEO.

Via: The Verge

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!