Golpistas estão enviando mensagens por SMS, WhatsApp e e-mail com falsas informações relativas ao CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) para enganar contribuintes, alertou na terça-feira (21) a Receita Federal. Na mensagem, os fraudadores sugerem que a vítima precisa regularizar a situação do CPF junto ao Fisco. No entanto, tais comunicações não passam de golpes, afirma a instituição.

Em nota, a Receita Federal informa que a regularização do CPF é realizada gratuitamente pelo site oficial e que os alertas enviados não possuem links de acesso (como se dá no golpe). Ao entrar no site da Receita, o contribuinte seleciona a opção “Meu CPF” e, por lá, encontra orientações sobre como corrigir sua situação cadastral de acordo com a irregularidade no sistema, informa a entidade.

publicidade

Leia mais:

Como funciona o golpe do CPF

De acordo com a Receita Federal, as mensagens dos fraudadores contêm links de acesso que induzem ao recolhimento de uma falsa taxa para que o contribuinte regularize seu CPF — uma velha tática de phishing.

O fato de os remetentes nas mensagens se identificarem como “Receita” e utilizarem o termo IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) leva as pessoas a acreditarem que se trata de uma comunicação oficial.

Segundo o Fisco, há casos de contribuintes que, após pagarem o valor (em torno de R$ 275), comparecem ao atendimento da Receita e descobrem que não havia nada a ser regularizado. Ou pior: que não havia pendências como ausência de declaração ou multas por atraso.

Fraudes relativas à Receita Federal têm sido infelizmente comuns nos últimos anos. No início de maio, a entidade alertou para um golpe em que os fraudadores alegavam que os contribuintes tinham uma retificação a receber do governo. Na mensagem, como no golpe do CPF, os cibercriminosos utilizavam uma falsa imagem do Governo Federal para dar a impressão de autenticidade ao conteúdo.

Crédito da imagem principal: Pira25/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!