Segundo informações do jornal Nikkei, a Amazon está com planos de fazer parte do mercado de vendas de medicamentos prescritos no Japão.

A empresa pretende fazer parceria a partir de 2023, com farmácias de pequeno e médio porte para o serviço, quando as prescrições eletrônicas forem permitidas pela primeira vez no Japão.

Leia mais:

Os valores dos remédios prescritos no Japão são determinados pelo governo. Neste ínterim o sistema de distribuição é altamente fragmentado, com 70 atacadistas em todo o país e quase 60 mil farmácias.

publicidade

Amazon está encerrando seu serviço de telessaúde: ‘Care’

Amazon
Imagem: Khomulo Anna/Shutterstock

A Amazon informou que até o fim do ano irá encerrar seu serviço de telessaúde chamado ‘Care’. A empresa avisou aos seus colaboradores acerca da decisão em uma reunião na última quarta-feira (24). 

Segundo especialistas, espera-se que “dezenas” de funcionários percam seus empregos após essa decisão. 

Em um memorando compartilhado pela empresa, Neil Lindsay, vice-presidente sênior de saúde da Amazon comentou: “Esta decisão não foi tomada de ânimo leve e só ficou clara após muitos meses de cuidadosa consideração.”

“Embora nossos membros inscritos tenham adorado muitos aspectos do Amazon Care, não é uma oferta completa o suficiente para os grandes clientes corporativos que temos como alvo e não funcionaria a longo prazo”, completou.

Para todos essa é uma decisão um tanto surpreendente, já que ano passado a própria Amazon informou que estava aumentando sua disponibilidade para mais trabalhadores e empresas nos EUA. 

Sem contar que o CEO da Amazon, Adam Jassy, ​​destacou a Amazon Care em sua carta aos acionistas de 2021, citando a plataforma como um exemplo do “tipo de inovação interativa” que estava impulsionando o próximo capítulo da empresa. Mais recentemente, a companhia fechou um acordo para comprar a operadora de saúde One Medical por US$ 3,9 bilhões. 

Via: Reuters

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!