O termo cibersegurança tem se tornado cada vez mais comum nos dias de hoje. Mas você sabe o que faz um profissional na área?

Marcelo Nagy, 46 anos, é diretor de uma empresa focada em gestão de tecnologia, segurança da informação e investigação cibernética, em São Paulo (SP) e um exemplo claro de profissional de cibersegurança.

“É uma rotina desafiadora, tenho cuidado em checar se ambientes estão atualizados (up-to-date) e se boas práticas de segurança estão sendo aplicadas”.

Leia mais:

publicidade

Ele trabalha aproximadamente 12 horas por dia para certificar-se que o ambiente esteja funcional e os processos de segurança da informação estejam funcionando corretamente.

Marcelo se interessou pela cibersegurança para proteger sistemas contra ameaças cibernéticas. No início de sua carreira trabalhando como desenvolvedor de software para uma instituição financeira, ele percebeu que a preocupação com a segurança sempre ficava em segundo plano.

“Era importante entregar softwares funcionais, sem bugs (erros ou falhas que ocorrem no sistema) e no menor tempo possível. A segurança se resumia a um controle de logins e segmentação por perfis de acesso”, explica Marcelo.

Para exercer essa profissão, é essencial saber como um cibercriminoso pensa e atua, além de ser discreto ao lidar com dados confidenciais, trabalhar em equipe e solucionar problemas sob pressão. E para se destacar neste mercado de trabalho, é preciso ter tempo e investir em educação para se manter atualizado.

Cyber Security saiba o que faz um profissional de cibersegurança
Imagem: Rawpixel.com/Shutterstock

“O profissional de Cyber Security consegue identificar vulnerabilidades no sistema, conhece técnicas de ataques e sabe implantar estratégias de defesa para proteger empresas contra tentativas de ataque de cibercriminosos e roubos de informações sigilosas”, afirma Cláudio Dodt, sócio-gerente e líder de prática na área de cibersegurança da Daryus Consultoria.

Empresas que processam dados e se preocupam com a divulgação online costumam contratar profissionais de segurança cibernética. O último (ISC)² Cybersecurity Workforce Study, realizado em 2021, aponta que existe um déficit de 2,7 milhões de profissionais de Cyber Security em todo o mundo, e desses, 441 mil são no Brasil.

Como o profissional precisa ter um desenvolvimento contínuo, a formação acadêmica é essencial para atuação em Cyber Security. “Por meio da especialização o profissional aprende as ferramentas necessárias para proteger as organizações, que estão com suas estruturas cada vez mais tecnológicas. Algumas oferecem uma abordagem prática, que possibilita ao aluno desenvolver os conhecimentos teóricos das aulas”, explica Nadia Guimarães, diretora acadêmica do Instituto DARYUS de Ensino Superior Paulista (IDESP).

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!