Essa semana foi marcada por um grande protesto na maior fábrica de iPhone do mundo, que fica na China. Os funcionários alegavam falta de pagamentos, descaso da Foxconn com a saúde deles, visto que a onda de Covid-19 se alastrou na cidade, entre outros.

A Foxconn se pronunciou dizendo que aconteceu um “erro técnico” relacionado ao pagamento, ao contratar os novos funcionários e pediu desculpas aos trabalhadores depois que a empresa foi afetada pela agitação trabalhista.

Leia mais:

Em vídeos que circularam nas redes sociais, homens quebraram câmeras de vigilância e entraram em confronto com a segurança enquanto centenas de trabalhadores protestavam na fábrica em Zhengzhou.

publicidade

Os trabalhadores disseram que foram informados de que a Foxconn pretendia atrasar o pagamento de bônus. Outros também reclamaram que foram forçados a dividir dormitórios com colegas que testaram positivo para Covid-19.

“Nossa equipe está investigando o assunto e descobriu que ocorreu um erro técnico durante o processo de integração”, relatou a Foxconn em comunicado, referindo-se à contratação de novos funcionários.

“Pedimos desculpas por um erro de entrada no sistema e garantimos que o pagamento real é o mesmo acordado no recrutamento”. 

Foxconn Shanghai Facility
Imagem: hapabapa/iStock

Ainda assim, a empresa não detalhou o erro. Vale ressaltar que o pedido de desculpas foi uma reviravolta em relação à primeira declaração, quando a Foxconn disse que havia cumprido seus contratos de pagamento.

Os maiores protestos diminuíram e a empresa está em contato com os funcionários envolvidos nos protestos menores, disse uma fonte da Foxconn à Reuters. Além disso, a companhia fez “acordos iniciais” com os colaboradores para resolver as questões e que a produção na fábrica continuava.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!