Parece um planetinha, mas não é. Também não é estrela. A Lua é um satélite natural – o único da Terra. E ela interage com o nosso planeta, causando as marés no oceano.

Confira as principais informações sobre a Lua:

  • A Lua é o único satélite natural da Terra.
  • A Lua se formou há 4,5 bilhões de anos.
  • A Lua foi um corpo celeste que se chocou com a Terra.
  • O nome “Lua” vem do latim, “luna”.
  • A Lua causa vários fenômenos, que vão desde as marés dos mares até eclipses solares.

A Lua se formou há 4,5 bilhões de anos, aproximadamente. Ela surgiu do impacto de um corpo celeste enorme contra a Terra. As “fases” do satélite (nova, crescente, cheia e minguante) vêm da forma que a luz do Sol incide sobre a sua superfície. Esse é só o começo das curiosidades sobre ela.

Leia mais:

publicidade

Qual a origem da Lua?

Simulação da origem da Lua
Simulação da Nasa mostra origem da Lua (Imagem: Reprodução/Nasa)

O corpo celeste que se chocou contra a Terra, bilhões de carnavais atrás, era quase do tamanho de Marte – cujo diâmetro é de 6.779 km, metade do nosso planeta.

Essa porrada despedaçou tanto o corpo celeste quanto parte da Terra. O impacto arremessou esses detritos para longe no espaço e parte deles entrou em órbita ao redor do nosso planeta, por conta da gravidade.

Com o tempo, esses fragmentos se agruparam e fundiram. Depois do processo de resfriamento, surgiu o satélite natural pálido que você consegue ver ao olhar para o céu.

A Nasa (Agência Espacial Americana) publicou, em 2022, uma simulação de como teria sido o processo de criação da Lua. Antes, acreditava-se que a formação tinha demorado meses ou anos para acontecer. Agora, uma teoria defende que levou horas. Assista a simulação abaixo:

Etimologia

O satélite natural ganhou seu nome – Lua, do latim “luna” – bem antes da descoberta de outros satélites do Sistema Solar.

Depois da sua descoberta, Galileu Galilei observou quatro corpos ao redor do planeta Júpiter, em 1610. Na época, ele percebeu que tinham movimentos parecidos aos da nossa Lua. E deu nomes diferentes a eles (Europa, Io, Ganimedes e Calisto), para evitar confusão com o nosso satélite natural.

Relação da Lua com a Terra

Visão da Terra a partir da superfície da Lua
Visão da Terra a partir da Lua na missão espacial Apollo 11 (Imagem: Reprodução/Nasa)

A Lua não fica simplesmente parada lá no céu. Seu movimento orbital em torno da Terra produz fenômenos visíveis tanto no céu quanto na superfície do planeta.

Um desses fenômenos são as marés nos oceanos. As oscilações no nível da água acontecem por conta da força gravitacional da Lua. Ela atua sobre toda a massa do planeta, mas dá para percebê-la nos oceanos.

Essa oscilação também produz correntes utilizadas para a geração de eletricidade. O processo é conhecido como “energia das marés”. As marés e correntes marítimas também são importantes para a manutenção do clima na Terra.

No céu, os fenômenos causados pelo satélite natural são os eclipses. Eles acontecem quando há bloqueio da chegada da luz do Sol à superfície da Lua ou da Terra. Por isso, existem dois tipos de eclipses:

  • Lunar: quando a Terra está entre o Sol e a Lua, deixando o satélite na zona de sombra;
  • Solar: quando a Lua está entre a Terra e o Sol, bloqueando a chegada da luz solar na superfície terrestre.

Fonte: Brasil Escola

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!