O primeiro episódio da adaptação da popular franquia de videogame The Last of Us finalmente chegou à HBO. Como em qualquer adaptação, as comparações entre o novo produto e o material original são inevitáveis (confira um comparativo visual).

ATENÇÃO: o texto abaixo contém spoilers do episódio 1 da série da HBO The Last of Us.

Embora algumas das mudanças na estreia tenham sido mais evidentes, há algumas que muitos podem apontar como expansões ponderadas desta narrativa. Isso vem na forma de novas cenas adicionais, como o flashback de 1968, onde uma entrevista em um talk show com dois epidemiologistas mostra um deles expressando suas opiniões sobre a possibilidade de uma infecção pelo fungo Cordyceps, logo na primeira cena da produção.

Leia mais:

publicidade

Outro inclui as cenas expandidas com Sarah (Nico Parker). No entanto, há uma adição em particular que torna a já excelente abertura do jogo e sua adaptação ainda mais eficaz do que já era. A cena em questão, que é expandida de maneiras inesperadas na série, é a morte de Sarah. Os co-criadores de The Last of Us, Craig Mazin e Neil Druckmann, seguem exatamente o material de origem quando se trata dessa cena em particular.

Onde a adaptação se desvia está relacionado a como ela se conecta à cena final da estreia. Essa cena coloca o público em um lugar familiar que aqueles que jogaram também reconheceriam imediatamente. Durante essa cena, vemos Joel (Pedro Pascal), Tess (Anna Torv) e Ellie (Bella Ramsey) sendo testados para Cordyceps. Depois que o resultado de Ellie é positivo, Joel tenta acalmar o soldado da FEDRA.

the-last-of-us25
Imagem: HBO

É uma comparação realmente gritante com a cena de partir o coração de quando Joel perde sua filha. O mais importante é que essa comparação não pode ser feita ao falar sobre o jogo original, pois nunca houve uma linha que pudesse ser traçada entre aquele momento e a morte de Sarah. No jogo, enquanto Joel acaba matando um soldado da FEDRA, não existe essa relação com o impacto emocional. Nós o vemos lutar com um deles no chão para pegar sua arma, enquanto Tess atira no outro.

Uma das adições mais importantes é a conexão que se estabelece entre o soldado da FEDRA que aponta a arma para Ellie e aquele que acaba atirando em Sarah. A clara conexão visual que acompanha a abertura do jogo, onde vemos o soldado recebendo ordens para matar e o soldado descobrindo o status de infecção de Ellie é um dos pontos mais fortes desta abertura da série.

Ainda mais impressionante é que isto está ausente do jogo. A inclusão de um flash rápido para o evento anterior esclarece bem o ponto. No entanto, ainda funciona, em grande parte, devido à implicação baseada na mudança nas expressões faciais de Joel.

O segundo episódio de The Last of Us chega à HBO e HBO Max no próximo domingo (22) às 23h.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!