Após o lançamento do chatbot da OpenAI, o ChatGPT, o Google buscou novas mudanças em sua empresa. A gigante da tecnologia planeja “demonstrar uma versão de seu mecanismo de busca com recursos de chatbot ainda este ano”, além de revelar mais de 20 projetos movidos a inteligência artificial.

Um outro executivo disse que um brusco investimento em tecnologia de inteligência artificial poderia prejudicar a reputação da empresa, segundo o The Verge.  Porém, algumas mudanças radicais já estão sendo feitas, como o corte de 12.000 funcionários na última sexta-feira (20).

Leia mais:

Ainda não há prazos para o lançamento de demonstração de pesquisa destas novas tecnologias, mas outros projetos da apresentação de slides aparentemente devem estrear durante seu evento anual de I/O em maio, que já lançou recursos como Duplex e Google Glass.

publicidade

Larry Page e Sergey Brin, acionistas controladores da Alphabet, controladora do Google, “ofereceram conselhos” aos líderes da empresa, aprovaram planos e lançaram ideias enquanto se reuniram com executivos para falar sobre o ChatGPT no mês passado. 

Google demite 12.000 funcionários

A demonstração da pesquisa do chatbot diz que o Google priorizará “acertar os fatos, garantir a segurança e se livrar da desinformação”, como forma de resolver o problema sobre as mentiras contadas pelo chatbot da OpenAI. Além disso, a empresa está trabalhando em formas de acelerar os processos de revisão que devem verificar a tecnologia para ver se ela está operando de forma justa e ética. 

Nos últimos anos o Google tem tomado muito cuidado em relação a ferramentas com inteligência artificial. A empresa se viu em uma questão ética após demitir vários profissionais da área, como Timnit Gebru e Margaret Mitchell. A dupla trouxe diversas críticas aos modelos de linguagem de IAs, como a apresentação de informações falsas como fatos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!