A Riot Games confirmou na última sexta-feira (20), que sofreu um ataque hacker no seu ambiente de desenvolvimento, o que permitiu que cibercriminosos roubassem o código-fonte do jogos League Of Legends e Teamfight Tactics.

Na terça-feira (24), a empresa confirmou que recebeu um pedido de resgate de US$ 10 milhões, conforme informou a reportagem da Vice que teve acesso ao e-mail enviado pelos hackers.

Leia mais:

Tudo sobre skins de League of Legends
( Divulgação/Riot Games)

“Obtivemos seus dados valiosos, incluindo o precioso código-fonte antitrapaça e todo o código do jogo League of Legends e suas ferramentas, bem como Packman, seu antitrapaça de modo de usuário. Entendemos a importância desses artefatos e o impacto que seu lançamento ao público teria em seus títulos principais, Valorant e League of Legends. Diante disso, estamos fazendo um pequeno pedido de troca de US$ 10 milhões”, diz o e-mail.

publicidade

De acordo com as informações obtidas pela reportagem, o e-mail incluía arquivos que aparentavam ser o código-fonte do League of Legends. Os hackers prometiam excluir os códigos caso o valor fosse pago e passar informações sobre como realizaram a invasão.

Riot se recusa a pagar o valor de resgate

A Riot disse em um tuíte que se recusou a pagar o valor exigido.

“Hoje, recebemos um e-mail de resgate. É desnecessário dizer que não vamos pagar. Embora esse ataque tenha interrompido nosso ambiente de construção e possa causar problemas no futuro, o mais importante é que continuamos confiantes de que nenhum dado ou informação pessoal do jogador foi comprometido”.

Riot tuíte
(Imagem: Reprodução/ Twitter)

Na noite da última terça-feira, após a desenvolvedora se recusar a pagar o pedido de resgate, os hackers colocaram a venda o código-fonte de League of Legends e a plataforma anti-fraude Packman em um fórum clandestino.

Hackers publicam o código-fonte do jogo em fórum clandestino

No post, o usuário “ArkaT” pede um valor mínimo de US$ 1 milhão pelos códigos. Conforme revelado pelo Bleeping Computer, a publicação contém um link para um documento PDF com uma lista de diretórios dos 72,4 GB do código-fonte roubado.

Apesar de se recusar, a pagar o valor de resgate, a Riot teme que o roubo do código-fonte possa permitir que algumas mecânicas do jogo sejam alteradas por chats e exploits prejudicando jogadores durante as partidas.

“Sinceramente, qualquer exposição do código-fonte pode aumentar a probabilidade de surgimento de novos cheats. Desde o ataque, estamos trabalhando para avaliar seu impacto no anticheat e para estarmos preparados para implantar correções o mais rápido possível, se necessário”, tuitou a Riot.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!