Há cerca de 150 anos, o fóssil de um peixe conhecido como Dunk foi descoberto. Os pesquisadores estimaram na época que ele era tão grande que possui quase o tamanho de um ônibus. Agora, um novo estudo revelou que ele era muito menos do que se estimava.

  • O peixe Dunk, ou Dunkleosteus terrelli, viveu há cerca de 360 milhões de anos durante o período Devoniano (419 milhões a 358 milhões de anos atrás);
  • Os primeiros fósseis foram encontrados há 150 anos nas margens do Lago Erie, perto de Cleveland, em Ohio, nos Estados Unidos;
  • A maior espécie do Dunk já encontrada atualmente se encontra em exposição no Museu de História Natural de Cleveland;
  • O peixe possuía uma mordida super poderosa, com dentes semelhantes a lâminas que poderiam se fechar com 3600 quilos de força.

Confusão quanto ao comprimento do peixe

A confusão do tamanho do peixe começou porque os Dunk possuíam um crânio ósseo blindado e um esqueleto de cartilagem, diferente dos peixes encontrados atualmente. Acontece que apenas o crânio com cerca de 85 centímetros de altura havia sido preservado.

Assim, para estimar o tamanho do peixe, os pesquisadores baseiam-se na proporção entre o tamanho do crânio e o comprimento do corpo de um tubarão e chegaram à conclusão de que eles poderiam chegar a ter até 9 metros de comprimento. Depois disso, não houveram muitas pesquisas sobre a espécie.

Essa ideia de que eles eram gigantes perdurou por cerca de 150, até que o pesquisador Russell Engelman foi até o Museu de História Natural de Cleveland e percebeu que as proporções do corpo do Dunk estavam totalmente erradas. 

publicidade

Tudo na biologia é influenciado pelo tamanho do corpo. Tentei usar algumas das medições antigas e, biologicamente, elas simplesmente não faziam sentido.

Russell Engelman, em resposta a LiveScience

As reconstruções que usavam como base o tamanho de 9 metros de comprimento do Dunk, resultaram em proporções estranhas e bizarras que não pareciam em nada com os desenhos do peixe. 

Leia mais:

Recalculando o comprimento do Dunk

O pesquisador resolveu ir atrás de como os cientistas que descobriram o Dunk calcularam o tamanho do peixe, e percebeu que eles nunca o estudaram de verdade.

Revirei a literatura e descobri que a maioria dos autores anteriores que falaram sobre isso estavam basicamente apenas observando

Russell Engelman

Para solucionar o problema, o pesquisador se concentrou em analisar as proporções de cabeça e corpo de diversas espécies de peixe, e não só de tubarões, como haviam feito. O resultado foi que o Dunk muito provavelmente não passou nem mesmo de 4 metros de comprimento.

Antes e Depois do tamanho do Dunk (Credito: Russell Engelman)
Antes e Depois do tamanho do Dunk (Credito: Russell Engelman)

O estudo mostrou que crânios muito altos e largos, mas curto em comprimento como o do Dunk resultam em peixes também mais curtos. Enquanto cabeças mais longas são encontrados em peixe mais compridos, como os tubarões.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!