No Brasil, a quantidade de influenciadores digitais já é maior que a de muitas outras profissões, como médicos e advogados. Essa é uma tendência mundial. Ao mesmo tempo, estamos em um período em que as redes sociais são rediscutidas em diferentes países. Por aqui, fala-se em regulamentar as plataformas digitais. Nos Estados Unidos, até o banimento do TikTok é avaliado.

  • Os EUA têm o maior número de influenciadores no mundo, com 13,5 milhões de pessoas — montante um pouco superior ao do Brasil.
  • Com 10,5 milhões de influencers somente no Instagram, o Brasil é líder nessa rede social.
  • No Brasil, esses dados são equivalentes a oito vezes o número de advogados ou quase 20 vezes o número de médicos — segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Conselho Federal de Medicina (CFM).
Dados sobre o mercado de influência no mundo / Imagem: Extra

Leia mais:

Em entrevista ao Extra, a professora de Pesquisa e Comportamento do Consumidor da ESPM Karine Karam explicou que o sucesso dos influenciadores tem a ver com o uso massivo das redes sociais. Com esse processo, a atenção aos meios tradicionais de comunicação se dividiu. No entanto, o caminho de conquistas não é simples:

Marketing “de gente” é algo muito complexo. Ainda que você pense em preço, construa uma audiência, produza um conteúdo de qualidade, existe a subjetividade. E a autenticidade é um valor muito importante, porque tudo em consumo tem a ver com identificação. Viralizar também não é simples, e, mesmo quando acontece, não é perene. Então, há uma estrada a ser percorrida e que não garante sucesso.

Karine Karam, professora de Pesquisa e Comportamento do Consumidor da ESPM, em entrevista ao Extra.

A forma de monetizar com a influência nos veículos digitais se dá principalmente através das famosas “publis”, onde são realizadas parcerias pagas para a divulgação de produtos e/ou serviços. Também é comum a participação de campanhas publicitárias maiores, que vão desde propagandas a aparições televisionadas sobre o foco do patrocínio.

publicidade

”Quando um produto é lançado, a marca busca as lacunas. É uma fórmula complexa que envolve pesquisa de mercado, onde se busca entender como e o que tem agradado o público, o que faz falta, como ele se vê representado”, afirma Karine.

Com informações do Extra.

Imagem destacada: Natali Kuzina / Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!