A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou em comunicado nesta terça-feira (11) que uma chinesa de Guangdong, no sul do país, foi a primeira vítima humana de um tipo raro de gripe aviária.

A mulher de 56 anos foi a terceira pessoa infectada pelo H3N8, um subtipo da doença. Todos os casos até aqui ocorreram na China (os dois primeiros foram relatados no ano passado).

Leia mais:

O que foi divulgado até aqui:

publicidade
  • O Centro Provincial de Controle e Prevenção de Doenças de Guangdong relatou a terceira infecção no fim do mês passado, mas ainda não forneceu muitos detalhes sobre a morte.
  • Já a OMS, informou que a paciente tinha mais comorbidades e histórico de exposição a aves vivas.
  • Amostras coletadas de um mercado visitado pela mulher antes de adoecer também deram positivo para influenza A(H3). Essa pode ter sido a fonte da infecção, diz o órgão.

Qual o risco de novas infecções?

Por enquanto, não houve mais casos positivos da doença entre os contatos próximos da paciente infectada, acrescentou a OMS. Embora raro em pessoas, o H3N8 é mais comum em aves, nas quais causa pouco ou nenhum sinal da doença.

A boa notícia é que, segunda o órgão de saúde, a cepa não se espalha com facilidade entre pessoas.

Com base nas informações disponíveis, parece que esse vírus não consegue se espalhar facilmente de pessoa para pessoa e, portanto, o risco de se espalhar entre humanos é considerado baixo

Trecho do comunicado divulgado pela OMS

Vale ressaltar ainda que não é raro encontrar casos positivos de gripe aviária na China, já que as variantes circulam pelo país nas grandes populações de aves domésticas e selvagens. Ainda assim, o monitoramento de casos é considerado importante pelas autoridades para conter os riscos de uma nova pandemia.

Via: Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!