A cidade de Nova York, nos Estados Unidos, vai distribuir AirTags da Apple em um projeto que visa diminuir roubos de carros na metrópole. O plano foi anunciado durante o fim de semana e envolve a entrega de 500 dispositivos para cidadãos locais.

As AirTags que serão distribuídas foram doadas pela ONG Association for Better New York, e o projeto não tem envolvimento direto da Apple. A ideia das autoridades de segurança é que, com mais cidadãos colocando AirTags em seus veículos, ladrões de carros pensem melhor antes de roubar, já que a localização pode ser facilmente detectada com uso do dispositivo.

Vídeo relacionado

Leia mais:

O roubo de carros está em alta em Nova York — os casos cresceram 13% nos primeiros meses de 2023 em comparação com o mesmo período de 2022. O bairro mais afetado é o Bronx, que receberá a maior parte das AirTags doadas.

publicidade
AirTag da Apple
AirTag. Divulgação / Apple

“Este simples dispositivo, essa simples AirTag, escondida em um lugar do carro que o ladrão não encontra, é um excelente dispositivo de monitoramento”, explicou Eric Adams, o prefeito de Nova York. “É fácil monitorar. Você consegue acompanhar em tempo real a localização do veículo,” concluiu.

De acordo com o John Chell, chefe de patrulha da polícia de Nova York, a ideia é que, quando o veículo for roubado, o dono receba um alerta via celular e já entre em contato com forças de segurança para que o carro seja recuperado e o ladrão detido.

publicidade

Os policiais não terão acesso direto à localização das AirTags distribuídas – o usuário precisa autorizar que eles acessem esses dados quando informar um roubo.

Virais do TikTok contribuíram para aumento de roubos

O crescimento nos roubos, de acordo com a polícia de Nova York, tem relação direta com redes sociais. Desde que vídeos viralizaram no TikTok com ladrões ensinando como roubas veículos de marcas como Kia e Hyundai, diversas cidades dos EUA passaram a observar um aumento na quantidade de veículos roubados.

publicidade

Segundo Chell, apenas nesse início de 2023, 966 carros da Kia e da Hyundai foram roubados. Durante o ano de 2022 inteiro, foram 819.

Plano com AirTags pode dar errado

É possível que a ideia não dê certo, até pela forma como as AirTags foram projetadas: elas emitem um som sempre que são separadas do dono por um período entre 8 e 24 horas.

Nesse caso, o ladrão pode ser alertado de que uma AirTag está presente e, assim, saber que está sendo monitorado, o que pode dificultar a busca e apreensão.

Vale lembrar que as AirTags também são usadas por criminosos para roubo de carros e outros objetos. Nesse caso, eles posicionam o dispositivo na placa ou na roda, e, assim, conseguem monitorar a localização de veículos de luxo, facilitando assim a abordagem e roubo em momentos oportunos.

Via 9to5Mac

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!