Um telescópio espacial foi lançado com participação do Brasil. No sábado (1º), um foguete Falcon 9 levou ao espaço o Euclid, telescópio da Agência Espacial Europeia, que vai estudar a matéria escura (confira mais detalhes sobre a missão aqui). 

Leia mais

Dados transmitidos em tempo real

  • A operação contou com o apoio do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, em Natal, que rastreou pela primeira vez o veículo.
  • O CLBI foi inaugurado durante a década de 1960, concentrando operações de lançamentos de foguetes e apoiando o Centro de Lançamentos de Alcântara, no Maranhão.
  • Durante a Operação Euclid, o CLBI coletou dados de telemetria do Falcon 9 em tempo real.
  • Essas informações são consideradas de enorme importância para a missão e dizem a respeito a condições e trajetória do foguete.
  • Todos os dados foram transmitidos para o centro de controle de missão da SpaceX.
  • Funcionários da SpaceX e da Escola de Sargentos das Armas, do exército brasileiro, treinaram os militares e civis do Centro, capacitando-os para manutenções e uso de equipamentos de rastreamento.
  • Como não havia membros das equipes estrangeiras participando presencialmente do evento, os profissionais em solo brasileiro foram qualificados para garantir a segurança e fazerem intervenções, caso fosse necessário.
  • “A participação e o sucesso na Operação Euclid evidenciam a capacidade operacional dos meios e dos recursos humanos do CLBI, o que pôde ser comprovado também por meio das interações de nossos civis e militares com novas tecnologias e com equipes de ponta no mundo”, comemorou Erivando Pereira Souza, coronel e diretor do CLBI.
Monitoramento do foguete Falcon 9, que contou com participação do Brasil (Imagem: Reprodução/CBLI)

Brasil já tem histórico em missões do tipo

  • Esta não foi a primeira vez que o Brasil acompanhou um veículo lançador.
  • Em 2021, um foguete Ariane 5 foi lançado, levando ao espaço o telescópio James Webb sob monitoramento da Estação de Telemedidas do Centro de Lançamento Barreira do Inferno.
  • As equipes em solo receberam os primeiros dados cinco minutos depois de o foguete deixar a plataforma.

Com informações da FAB.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!