Os impactos da poluição no meio ambiente são conhecidos por todos. Há diversos alertas sobre a questão e esforços para diminuir a emissão de gases de efeito estufa, além de uma discussão cada vez mais intensa sobre a necessidade de substituir o uso de combustíveis fósseis por energias renováveis e limpas. Agora, um estudo quantificou os gastos com a poluição.

Leia mais

Gastos com saúde impressionam

  • O estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade de Boston, da Universidade da Carolina do Norte, do Fundo de Defesa Ambiental e da organização sem fins lucrativos Médicos, Cientistas e Engenheiros para Energia Saudável, em conjunto com a Agência Federal de Proteção Ambiental dos Estados Unidos.
  • A estimativa é que a poluição do ar pela produção de petróleo e gás dos EUA custe ao país, por ano, até US$ 77 bilhões, quase R$ 370 bilhões.
  • Os números dizem respeito aos gastos com saúde.
  • Essa poluição, dizem os pesquisadores, gera 410 mil ataques de asma a cada ano, 2.200 novos casos de asma infantil e cerca de 7.500 mortes.
  • Principal autor do trabalho, Jonathan Buonocore, pesquisador de saúde pública da Universidade de Boston, afirmou que “pesquisas anteriores sobre riscos à saúde se concentraram em fontes de combustão, como usinas de energia e carros. Ninguém olhou para os impactos da extração na saúde”.
Poluição do ar pela produção de petróleo e gás dos EUA tem custo bilionário (Imagem: Vera Larina/Shutterstock)

Outras complicações

  • O estudo ainda aponta que embora haja uma lacuna de conhecimento sobre os impactos totais de nossa produção acelerada de petróleo e gás, muitas pesquisas já descrevem problemas de saúde experimentados por pessoas que vivem perto de refinarias e outras instalações de processamento.
  • Há registros de complicações no parto, aumento das chances de asma e maiores taxas de hospitalizações, doenças cardiovasculares e outros efeitos negativos à saúde.

Locais mais afetados

  • Os pesquisadores analisaram a poluição em diversos locais dos Estados Unidos.
  • Estados como o Texas, onde há muita produção de petróleo e gás, apresentaram situações mais preocupantes.
  • Já estados como Nova York e Illinois, que têm áreas metropolitanas ocupadas e poluídas, mas pouca produção de combustíveis fósseis, não mostraram os mesmos resultados.

Com informações de Fast Company.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!